RELATRIO DO VI ENCONTRO DAS COMUNIDADES ALEMS DA AMRICA LATINA

Nilo Franck

Geral

29/08/13 - 21:10

Ainda no comentado.

03 A 05 SETEMBRO DE 2008
Nos cabe como Presidente da Comisso Organizadora do VI CAAL, realizado na cidade de JUIZ DE FORA, no perodo de 03 a 05 de setembro de 2008, apresentar um relatrio sucinto de todos os acontecimentos ocorridos durante o evento. O Encontro foi organizado por uma comisso escolhida entre os membros da ASSOCIAO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL-ALEMANHA e o INSTITUTO TEUTO-BRASILEIRO WILLIAM DILLY, tendo a superviso da FEDERAO DOS CENTROS DE CULTURA ALEM NO BRASIL-FECAB e o apoio do CONSULADO HONORRIO DA ALEMANHA EM BELO HORIZONTE. O local escolhido, a ESTAO SO PEDRO, est situada dentro da rea da COLONIA DOM PEDRO II, habitada por colonos germnicos e seus descendentes, bem como as pousadas onde se hospedaram os participantes e a DEUTSCHES FEST. O objetivo desta escolha foi de permitir aos participantes conhecer e transitar em reas onde viveram nossos antepassados. Recebemos ao longo do perodo de inscrio 36 palestras de expositores de vrios estados e pases e embora tenha sido considerado um nmero excessivo de palestras, propiciou ao participante a oportunidade de conhecer a realidade de estados como ESPRITO SANTO, RIO DE JANEIRO, MINAS GERAIS, SO PAULO, PARAN, SANTA CATARINA E RIO GRANDE DO SUL e de pases como ARGENTINA, PARAGUAI, CHILE, PERU E VENEZUELA. A viagem a Petrpolis foi a oportunidade de conhecer uma das cidades mais belas do Brasil e, cuja construo teve a participao direta de colonos alemes e seus descendentes, e que tem muita ligao e afinidade com Juiz de Fora. A programao foi bem diversificada e teve como objetivo mostrar todas as empresas e agencias de desenvolvimento da cidade, a Universidade Federal de Juiz de Fora e a atuao do Instituto Goethe. O lanamento do livro OS ALEMES E A BORBOLETA' do escritor VICENTE CLEMENTE (CLEMENS), foi uma oportunidade especial para que os participantes pudessem ter uma viso mais ntida da histria da imigrao germnica para Juiz de Fora, o que alis foi tambm citado no livreto do VI CAAL, muito bem preparado pela companheira RITA COUTO. A logomarca e o material grfico do encontro, retrata um pouco desta histria com a insero das bandeiras da Alemanha e da ustria de onde vieram a maior parte dos imigrantes: contm fotos de Juiz de Fora e Petrpolis, inseridas no Mapa da Amrica Latina e a base uma cpia do LIVRO DAS BARCAS pgina 19 PASSAGEIROS DO VELEIRO GUNDELA, terceira embarcao a trazer colonos germnicos para Juiz de Fora. Nossos agradecimentos ao INSTITUTO MARTIUS-STADEN de SO PAULO, e ao expositor sr. ECKHARD E. KUPFER, que num gesto de muito respeito e demonstrando a importncia do evento trouxe a EXPOSIO SOBRE OS 450 ANOS DA PRIMEIRA PUBLICAO DO LIVRO SOBRE HANS STADEN, a quem agradecemos. Igualmente agradecemos ao CONSULADO HONORRIO DA USTRIA EM BELO HORIZONTE, por nos ter permitido mostrar a exposio sobre a vida de BERTHA VON SUTTNER.
PROGRAMA OFICIAL:
A programao teve inicio com a solenidade de abertura, com a presena do sr. JOS EDUARDO ARAJO, PRFEITO MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, sr. FRANCISCO CANALLI, PRESIDENTE DA CMARA DE VEREADORES, sr. MARCUS HAAS, CONSUL GERAL ADJUNTO DA ALEMANHA NO RIO DE JANEIRO, sr. HANS KAMPIK, CONSUL HONORRIO DA ALEMANHA EM BELO HORIZONTE, sr. ROLANDO KEGLER, CONSUL HONORRIO DA ALEMANHA EM POSADAS, MISIONES, ARGENTINA, sr. LEOPOLDO JAHN, REPRESENTANTE DA ASSOCIAO CULTURAL HUMBOLDT, VENEZUELA, sr. JORGE WOLFGANG GLOBIG, PRESIDENTE DA FEDERAO DOS CENTROS DE CULTURA ALEM NO BRASIL-FECAB, sra. HILARINA ANNITA NETTO DAL MDICO, PRESIDENTE DA ASSOCIAO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL-ALEMANHA, sr. JOS ROBERTO DILLY, PRESIDENTE DO INSTITUTO TEUTO- BRASILEIRO WILLIAM DILLY, sr. PAULO CESAR MACHADO, SECRETRIO DE TURISMO DE JUIZ DE FORA e sr. CLAUDIO GOMIDE, PRESIDENTE DA FUNDAO DE CULTURA E TURISMO DE PETRPOLIS, e outras autoridades, alm dos expositores e participantes do VI CAAL. A Banda da IV BRIGADA DE INFANTARIA DE JUIZ DE FORA executou magistralmente os hinos nacionais da ALEMANHA e BRASIL, num momento de grande emoo para todos. Em seguida se manifestaram pela ordem os senhores e senhoras HILARINA DAL MDICO, JOS ROBERTO DILLY, JORGE GLOBIG, MARCOS HAAS, HANS KAMPIK, JOS EDUARDO ARAJO, e, finalmente, o Presidente da Comisso encerrando a solenidade de abertura. Durante os discursos foi enfatizado a importncia do evento e um pouco da histria da imigrao alem para nossa cidade e o trabalho de levantamento dos dados para que hoje pudssemos ter conhecimento dessa belssima histria, o sentimento de amor que dever povoar os dias do encontro e a importncia de Juiz de Fora e Petrpolis neste contexto. Aps a pausa para o caf, os trabalhos foram reiniciados com o primeiro ciclo de palestras, tendo antes falado aos presentes o sr. ANTONIO FLVIO LUCAS DO NASCIMENTO, do CENTRO INDUSTRIAL DE JUIZ DE FORA, contando em rpidas palavras um pouco da histria dessa importante entidade. Ele fez um histrico da contribuio dos germnicos nos diversos setores de atividade da cidade no sculo XIX, as indstrias implantadas pelos colonos e seus descendentes at a chegada da MERCEDES BENZ a nossa cidade. Como primeira palestrante falou a Professora VALRIA LEO FERENZINI, Doutora em Histria Social pela UFRJ e que realizou vrias pesquisas sobre a imigrao alem e italiana em Juiz de Fora e o tema desenvolvido foi OS ALEMES E A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL, a partir de conflitos ocorridos entre os alemes e os padres redentoristas para a construo de uma igreja em nossa cidade. Logo em seguida falou a Professora SABRINA MUNCK NASCIMENTO, ps-graduada em CIENCIAS HUMANAS e SADE pela UFJF, que abordou o tema A IMIGRAO ALEM EM JUIZ DE FORA NO SCULO XIX A VIDA DA PRINCESA BVARA COMPARANDO-A COM A RAPUNZEL, num dos trechos de sua palestra ela destaca: ... com este esprito empreendedor e aventureiro que traaremos o rumo da identidade germnica na cidade de JUIZ DE FORA tendo como base a utilizao do recurso udio-visual do filme SISSI, do diretor e roteirista ERNEST MARISCHKA, filmado em 1956, e imortalizado pela atriz ROMY SCHNEIDER, que encarnou no cinema a inslita imperatriz uma mulher a frente de seu tempo, exmia amazona, viajante, poetisa e poliglota.... A terceira expositora foi a jovem JAKELINE DUQUES DE MORAES LISBOA, mestranda do Curso de Educao Fsica da UFJF, abordando o tema DESCREVENDO A HISTRIA DO TURNERSCHAFT, PRIMEIRO CLUBE DE GINSTICA DE JUIZ DE FORA; num dos trechos ela aborda as primeiras atividades do clube: ...Inicialmente as atividades do TURNERSCHAFT eram realizadas no Parque da Cervejaria Stiebler com a instruo do alemo HANS HAPPEL,campeo de ginstica Mundial (CORREIO DE MINAS 1920) ,como instrutor ele desenvolveu atividades que tinham como base os ideais da ESCOLA ALEM.... A quarta expositora para nossa satisfao foi a sra. DALVA NEUMANN KEIM, pedagoga com experincia com pblico h mais de 20 anos. Ela abordou o tema COLONIA ALEM EM TEFILO OTONI-MG, cidade situada no norte de Minas Gerais fronteira com a Bahia. Emocionada num dos trechos de sua palestra ela relata: ... 79 alemes, sendo 60 evanglicos, 2 catlicos e 17 crianas que ainda no tinham sido batizadas, junto com 21 suios chegaram em FILADLFIA (hoje Tefilo Otoni) no dia 23 de julho de 1856..., mais adiante ela cita em 1868 chegou nova leva de imigrantes com cerca de 44 famlias. O quinto palestrante JORGE KUSTER JACOB, Secretrio de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer de VILA PAVO ESPRITO SANTO, com dois livros publicados A IMIGRAO E ASPECTOS DA CULTURA POMERANA NO ESPRITO SANTO e UM CASAMENTO POMERANO NO ESPRITO SANTO - 1995. Foi tambm diretor e roteirista do FILME BATE PAUS, que foi exibido durante sua fala, que versou sobre OS POMERANOS NO ESPRITO SANTO E A PERSEGUIO DURANTE A II GUERRA MUNDIAL. A sexta palestrante foi a sra. HILDA BRAUN, Coordenadora-Geral da ASSOCIAO DA CULTURA ALEM DO ESPRITO SANTO-ACAES e presidente do GRUPO DE DANAS FOLCLRICAS DE DOMINGOS MARTINS-ES. Sua palestra A IMIGRAO E ASPECTOS DA CULTURA POMERANA NO ESPIRITO SANTO. Ela fez um breve histrico da chegada dos colonos alemes do Hunsrck em 1846 no Esprito Santo, estabelecendo-se em 1847 na regio de Santa Isabel, hoje Domingos Martins, dez anos mais tarde chegou outra leva composta por suos, luxemburgueses, tiroleses, holandeses e em sua maioria pomeranos. Hoje em muitas regies dos 19 muncipios do estado com imigrao alem, muitos ainda conservam a lngua pomerana, usos e costumes. Ela citou em sua palestra aspectos que consideramos importantes que foi a imigrao dentro do Brasil dos pomeranos para RONDONIA na Amaznia Ocidental e a NOITE TPICA ALEM de Braslia na ASA SUL, esta festa realizada anualmente desde 2001, e tem seus convites muito disputados, sempre tem a presena do EMBAIXADOR DA ALEMANHA NO BRASIL. Na parte da tarde logo aps o almoo reiniciamos os trabalhos com a palestra A CONTRIBUIO DO INSTITUTO GOETHE E DA ASSOCIAO BRASILEIRA DE PROFESSORES DE ALEMO, proferida pelo sr. FERNANDO GIL DE ANDRADE, ele citou o trabalho do Goethe em cinco cidades brasileiras RIO DE JANEIRO, SO PAULO, PORTO ALEGRE, CURITIBA e SALVADOR, e a sua diviso em trs departamentos: CULTURAL, CURSOS e BIBLIOTECA, falou tambm do INSTITUTO WERTHER DE JUIZ DE FORA, que vinculado ao GOETHE. Em seguida tivemos o lanamento do livro OS ALEMES E A BORBOLETA cujo autor VICENTE CLEMENTE (CLEMENS), teceu alguns comentrios sobre sua obra e o apoio da FUNDAO ALFREDO FERREIRA LAGE-FUNALFA, para concretizar sua obra. digno de destaque um trecho do prefcio escrito pelo SR KLEBER HALFELD, Presidente da ACADEMIA JUIZFORANA DE LETRAS que bem retrata o esprito da obra: ...Vicente de Paulo Clemente cristaliza seu amor, sua saudade pungente em OS ALEMES E A BORBOLETA'. Tece minucioso relato das viagens que seus antepassados fizeram bordo das barcas hamburguesas TELL','RHEIN', GUNDELA', GESSNER' e OSNABRUCK', e de outras embarcaes, as quais saram do porto de Hamburgo. Detm-se nas dificuldades ocorridas na travessia dos mares. E j em terra firme, em nosso Pas, recorda as vitrias alcanadas conta de muito trabalho e persistncia... Em seguida o II ciclo de palestras foi aberto com o sr. MOACYR FLORES, que falou sobre o MANUAL DE EMIGRAO DE JOSEPH HORMEYER. O palestrante Doutor em Histria pela PUC/RS, Pesquisador com dezenas de artigos em revistas especializadas e 20 livros publicados. Num dos trechos de sua palestra ele assim se expressa: De um lado havia a presso social que empurrava as famlias pobres para a emigrao, do outro lado o Novo Mundo era visto como uma Cana, onde corria leite e mel... Os agentes de emigrao aproveitavam-se desse imaginrio para atrair famlias para o Novo Mundo. Entre eles Joseph Hormeyer.... Em seguida foi a vez da palestra da sra. HILDA AGNES HBNER FLORES, Mestre em Histria pela PUC/RS, publicou 16 livros e vrios artigos em revistas especializadas. O tema de sua palestra MEMORIALISTAS ALEMES. A palestra retrata um apanhado das informaes de alguns memorialistas alemes que documentaram sobre a Histria Imigratria, em especial do Rio Grande do Sul. Em seguida foi a vez do grande amigo FLVIO LUIZ SEIBT, mdico e fundador do Museu de Venncio Aires/RS, scio do comit brasileiro do CONSELHO INTERNACIONAL DE MUSEUS. Sua palestra O NCLEO DE CULTURA VENNCIO AIRES E A RESPONSABILIDADE CIVIL SOBRE O PATRIMONIO HISTRICO, objetivou relatar a trajetria do NUCLEO DE CULTURA VENANCIO AIRES-NUCVA, uma ONG que mantm o MUSEU VENANCIO AIRES criado em 26 de outubro de 1994, sediado na CASA DE CULTURA VENANCIO AIRES. A seguir foi a vez do querido amigo GERHARD RUDOLF KLEINE falar sobre a ASSOCIAO CULTURAL GRAMADO - CASA DA JUVENTUDE COMO POLO CULTURAL NO SUL DO BRASIL E PROJETO DE PRESERVAO DO PATRIMNIO CULTURAL. O palestrante dedicou grande parte de sua vida ao trabalho nessa modelar instituio e faz em sua palestra uma grande homenagem a THEO KLEINE, com a seguinte afirmao: Podemos afirmar sem temor que THEO KLEINE foi um visionrio do sculo XX . Sua palestra faz um histrico de todas as dificuldades e xitos obtidos por todos os que dirigiram essa grande instituio cultural brasileira. A seguir foi a vez da sra. DENISE QUITZAU KLEINE, graduada em Histria pela UNICAMP, bolsista da FUNDAO ROTRIA junto EUROPA-UNIVERSITT VIADRINA na Alemanha. Sua palestra O DEPARTAMENTO DE DANAS FOLCLRICAS DA ASSOCIAO CULTURAL GRAMADO E O SEU PAPEL NA ELABORAO DA IDENTIDADE TEUTO-BRASILEIRA ATRAVS DA DANA FOLCLRICA. Um trecho de sua palestra citamos a seguir: nesse contexto de reconstruo da identidade teuto-brasileira que surge o movimento de danas folclricas no Brasil. Por iniciativa da FECAB comeam na dcada de 80, do sculo passado os CURSOS DE DANAS FOLCLRICAS ALEMS em Gramado que recebem cada vez mais participantes e culminam com a criao do DEPARTAMENTO DE DANAS FOLCLRICAS ALEMS DA CASA DA JUVENTUDE. O segundo ciclo se fecha com a palestra do sr. ECKHARD KUPFER, do INSTITUTO MARTIUS STADEN DE SO PAULO, cujo titulo ENTRE AS GENTES ANTROPFAGAS 450 ANOS O LIVRO DE HANS STADEN NO BRASIL. O sr. Kupfer tambm jornalista do semanrio de lngua alem no Brasil - BRASIL POST. Sua palestra descreve a histria de HANS STADEN que esteve no Brasil no sculo XVI e que durante nove meses viveu cativo entre os ndios, sempre ameaado de ser sacrificado. Foi obrigado a assistir vrias festas, nas quais outros prisioneiros aps dias de dana e bebida, eram mortos e finalmente devorados. Nos anos 90 do sculo passado O MUSEU REGIONAL DE WOLTHAGEN em HESSEN incorporou uma coleo sobre HANS STADEN e em conjunto com INSTITUTO MARTIUS STADEN criou em 2007 uma exposio itinerante, a mesma exposio foi trazida para o encontro por iniciativa do palestrante. No III ciclo foram apresentadas as palestras sobre a COLONIA TOVAR-VENEZUELA a comear pelo caro amigo LEOPOLDO JAHN MONTAUBAN, Engenheiro, lder e batalhador incansvel da Comunidade Teuto-Venezuelana, ex-presidente e membro do Conselho Consultivo de ex-presidentes da ASOCIACIN CULTURAL HUMBOLDT, de Caracas, o titulo de sua palestra IMPORTANCIA DEL TESTIMONIO ESCRITO Y LA DOCUMENTACIN PARA LA HISTRIA DE LA COLONIA TOVAR. A importncia desta palestra perfeitamente compreensvel quando o expositor relata as dificuldades encontradas para a preparao do livro de sua autoria LA COLONIA TOVAR Y SU GENTE publicado em novembro de 1990, quando se percebe toda a preocupao com o processo de investigao dos fatos. Em seguida foi a vez da expositora ALEXANDRA COLLIN, Diretora do ARCHIVO HISTRICO Y GENEALGICO DE LA COLONIA TOVAR PROFESOR DR. CONRAD KOCH. A palestrante fez um histrico de todo o processo de levantamento genealgico de dados sobre a Colonia Tovar, dados esses desde 1843 at os nossos dias. Em seguida foi a vez da palestrante REYMAR BARRIOS , Arquiteta com dez anos de experincia, diretora de projetos da ALCADIA DO MUNICIPIO DE TOVAR. Sua palestra LAS TIPOLOGIAS ARQUITECTNICAS Y URBANSTICAS DE LAS COMUNIDADES LATINAS DE ORIGEN ALEMN COMO MODELO A SEGUIR PARA LA CONSERVACIN DE LA IDENTIDAD DE UN CIUDADANO. Fechando o primeiro dia a palestrante ISABEL JAHN HERRERA, Licenciada em Histria das Artes Plsticas e Museologoia . Sua palestra CONVIVENCIA DEL PASADO HISTRICO INDGENA Y LOS POBLADORES DE TOVAR, fazendo um breve histrico do passado indgena venezuelano; o caso de Aragua e os petroglifos, Los petroglifos de Tovar y la gente.
De noite um concorrido jantar de confraternizao na prpria Estao So Pedro, que permitiu uma maior aproximao ou reaproximao descontrada entre os participantes.
SEGUNDO DIA:
Deslocamo-nos para Petrpolis saindo de Juiz de Fora s 09 h, chegando ao PALCIO DE CRISTAL por volta das 10h45, quando fomos recebidos por uma equipe da FUNDAO DE CULTURA E TURISMO DE PETRPOLIS, CLUBE 29 DE JUNHO e ASSOCIAO DOS GRUPOS FOLCLRICOS ALEMES DE PETRPOLIS. Iniciando o IV ciclo de palestras, o SR JORGE WOLFGANG GLOBIG, nos falou da NOBREZA ALEM NO BRASIL, HOMENAGEM A CIDADE IMPERIAL DE PETRPOLIS, ressaltando a presena de nobres alemes desde o incio do Brasil Colnia em 1532 com Johann von Hlsen, do governo de Mauricio de Nassau no Brasil Holands e da contribuio da famlia imperial brasileira para a vinda de imigrantes alemes. O palestrante Economista, Presidente da FECAB e Vice-Presidente do CENTRO CULTURAL 25 DE JULHO DE PORTO ALEGRE. A seguir foi a vez de HILRIO RODOLFO KLEIN, Contador, Professor de Contabilidade e estudioso da imigrao e da migrao alem e italiana no Rio Grande do Sul. Sua palestra COMO SE DIVERTIAM OS IMIGRANTES EM NOVA PETRPOLIS. Discorreu sobre o KERB, SCHTZENFEST (FESTA DOS ATIRADORES), SCHLACHTFEST (FESTA DA MATANA DO PORCO), OKTOBERFEST (FESTA DE OUTUBRO) e outras manifestaes. O COMEO DA IMIGRAO ALEM NO BRASIL foi a terceira palestra, apresentada pelo Pastor ARMINDO L. MLLER, fundador do CEGENS (SANTA CRUZ DO SUL-RS), fundador do CENTRO CULTURAL TEUTO-FRIBURGUENSE (NOVA FRIBURGO-RJ). Ele apresentou uma CRONOLOGIA da imigrao alem no Brasil at o ano de 1860. A Na sua palestra ele conta, entre outros importantes fatos um pouco da histria de JULIO FREDERICO KOEHLER, que em 1845 foi o grande responsvel pela vinda dos colonos alemes e da fundao de Petrpolis. O quarta palestra IMIGRANTES-COLONIAS E COLONOS do sr. PAULO ROBERTO MARTINS DE OLIVEIRA, membro titular do INSTITUTO HISTRICO DE PETRPOLIS e do COLGIO BRASILEIRO DE GENALOGIA. quinto palestrante sr. MAX JOS MLLER, natural de Florianpolis-SC, graduado em Filosofia pela UFSC, Muselogo provisionado, autor do livro CARL HOEPCKE O ESTRUTURADOR DO DESENVOLVIMENTO CATARINENSE, falou sobre a maravilhosa trajetria de CARL HOEPCKE, mostrando que foi o homem mais moderno de Santa Catarina em todos os tempos, inclusive os atuais. O sexto expositor sr. ALTAIR REINEHR, Professor, Lingista, membro da ASSOCIAO NACIONAL DE PESQUISADORES DA HISTRIA DAS COMUNIDADES TEUTO-BRASILEIRAS, veio da cidade de Maravilha-SC falar sobre A CULTURA ALEM NO DIA A DIA DOS BRASILEIROS, fazendo um histrico sobre a importncia da imigrao alem, pois hoje temos descendentes em todos segmentos da sociedade brasileira. Nomes de pessoas, ruas , praas, escolas, rodovias e at municpios. Encerrando este IV ciclo falou o sr. ESTEBAN BOCARANDA BRAVO, Alcaide do Municpio de Tovar, Venezuela, Advogado e Telogo, sua palestra INTERCAMBIO ENTRE LAS COMUNIDADES LATINAS DE ORIGENM ALEMN Y LOS NEXOS CON SUS ORIGENES, enfatizando a necessidade de se manter laos de amizade e intercambio entre as cidades que congregam descendentes de alemes, como importante alternativa para o desenvolvimento cultural dessas cidades. Lanou a idia de que o X CAAL em 2012 venha a se realizar novamente em Tovar na Venezuela. Terminado este ciclo os participantes foram almoar na IGREJA LUTERANA DE PETRPOLIS e a seguir visitar a CATEDRAL DE PETRPOLIS e o MUSEU IMPERIAL DE PETRPOLIS. As 17h a comitiva regressou a JUIZ DE FORA, tendo se deslocado para o bairro BORBOLETA para a abertura oficial da XIV DEUTSCHES FEST. Neste dia houve uma programao simultnea em Juiz de Fora com a apresentao dos seguintes assuntos: 10h MISSO E ATUAO DA CMARA DE COMRCIO E INDUSTRIA BRASIL-ALEMANHA feitas por THOMAS OLSINGER (Coordenador Regional no Rio de Janeiro) e MARCUS LESKOVSEK (Coordenador Regional de Belo Horizonte), 11h30 DEGUSTAO DE VINHOS ALEMES SILKE TISCHENDORF-LEWIN, ASSESSORA POLITICA DA EMBAIXADA DA ALEMANHA EM BRASILIA, 14h30 AS RELAES DO BRASIL COM ALEMANHA E A UNIO EUROPIA DR WILHELM HOFMEISTER, DIRETOR DA FUNDAO KONRAD ADENAUER STIFTUNG NO BRASIL. As 15h15 PARTIDOS POLITICOS BRASILEIROS E ALEMES Professora SILVANA KRAUSE, da UF/GOIS e finalmente as 16h EXPERINCIA DE UM ESTGIO NO EXTERIOR OU ESTUDAR NA ALEMANHA CHRISTOPH BECHERER, Estagirio da FUNDAO KONRAD ADENAUER NO BRASIL.

TERCEIRO DIA:
Aps o city tour pela cidade de Juiz de Fora na parte da manh, os trabalhos recomearam as 14h com o quinto ciclo de palestras. No incio falou o sr. ALOSIO JOS DE VASCONCELOS, Presidente da ASSOCIAO COMERCIAL E EMPRESARIAL DE JUIZ DE FORA, que fez uma sntese da histria desta importante entidade de Juiz de Fora e o projetos futuros. Como primeiro palestrante o sr. ROLANDO KEGLER, Consul Honorrio da Alemanha em Misiones, Corrientes , Formosa y Chaco (Argentina) desde 1988. O ilustre palestrante abordou o tema LA PRENSA ESCRITA ALEMN DURANTE LOS PRIMEROS MISIONERA EN CINCUENTA AOS DEL SIGLO XX. A abordagem da palestra limita-se a regio do Alto Paran que compreende a provncia de Misiones (Argentina) e as colnias alems do Paraguai entre 1928 a 1960. O segundo palestrante sr. JOS CEFERINO GAREIS, investigador da coletividade de alemes do Volga, realiza programa radial VOCES DEL VOLGA em AM, empresrio turstico, autor do livro recm lanado ALEMANES DEL VOLGA 130 AOS EM ENTRE RIOS. Sua palestra LOS ALEMANES DEL VOLGA Y SU APORTE AL PAS, conta a trajetria da vinda para a Argentina desses heris. Nos lembra a visita que fizemos a Paran em 2006 e conhecemos toda essa maravilhosa regio argentina. A terceira palestrante sra. REGULA ROHLAND DE LANGBEIN, Profesora consultora da UNIVERSIDAD DE BUENOS AIRES. Se desempenhou durante 20 aos at a sua aposentadoria em 2006 na UBA, como Profesora Adjunta de Literatura Europeia Medieval e Professora Titular de Literatura Alem, sua palestra INSTITUICIONES Y ASOCIACIONES DEPENDIENTES DE LA IGLESIA EVANGELICA DEL RIO DE LA PLATA, EN LA PRIMERA MITAD DEL SIGLO XX. A querida amiga Regula encantou a todos com sua extraordinria bondade e carinho conosco. Em seguida foi a vez da jovem CARINA JUDITH VILLAFAE BATICA, que j participou de diversos congressos nacionais e internacionais entre os quais II CONGRESO INTERNACIONAL CHILE-EXPOSICIN, Membro Ativo do INSTITUTO BOLIVIANO DE HISTRIA AERONUTICA, do INSTITUTO DE INVESTIGACIONES HISTRIAS AERONUTICAS, entre outros. Sua palestra LA MISIN JUNKERS II ARGENTINA E CHILE, uma amostra de avies antigos e modernos, os desenvolvimentos tcnicos realizados pelo professor HUGO JUNKERS em seus avies. Para finalizar este bloco nos honrou com sua palestra o sr. ROLF FIEBIG, Engenheiro Civil, ex-presidente DCB - LIGA CHILENA ALEMANA e Gerente da Mantex S.A. entre outras atividades. Sua palestra LAGER, LUGAR DE VACACIONES PARA JVENES DE HABLA ALEMANA EN CHILE, mostra a extraordinria preocupao e grande investimento do povo chileno no processo de educao da juventude de seu pas, especialmente os descendentes de alemes. Como ltimo, o sexto ciclo de palestras foi iniciado com a apresentao do Dr. JOS GERALDO sobre a AGNCIA DE DESENVOLVIMENTO DE JUIZ DE FORA E REGIO. Como primeiro palestrante sr. ALFREDO BACHMANN, empresrio agro-industrial e ex-prefeito de Colonia Independencia, Paraguai. Sua palestra LA INMIGRACIN A COMIENZOS DEL SIGLO XX Y LAS ANTERIORES EN EL PARAGUAY. Com muita emoo pude ver que o efeito multiplicador do encontro se traduzia na delegao paraguaia, em Tovar com 02 integrantes, em Juiz de Fora com 06 integrantes. O nosso querido Alfredo conseguiu trazer mais pessoas interessadas neste intercambio de idias e conhecimentos culturais e foi muito bom. Falou-nos da imigrao no incio do sculo XX, quando pelos efeitos da primeira guerra os germnicos vieram de vrias partes, de regies da Alemanha, menonitas, canadenses descendentes e brasileiros descendentes. Trabalharam na agricultura e fizeram o Paraguai na regio em que se estabeleceram produzir, trigo, soja e outros a se unirem em cooperativas para poderem se desenvolver melhor. Em seguida foi a vez do estreante MATIAS LOIDOL formado em Filadlfia no Chaco e com especializao na Alemanha, Professor de Alemo e de Informtica, sua palestra ESCUELA ALEMANA (DEUTSCHE SCHULE) EN EL CONTEXTO SOCIO CULTURAL DE LA REGIN. Sua fala mostrou o CENTRO EDUCATIVO INDEPENDENCIA, hoje com 52 anos de existncia, segundo Matias, ele e sua famlia estudaram nesta escola, bem como a grande maioria de seus amigos. Em seguida foi a vez do sr. GEROLF HARTMANN, nascido na Alemanha. Formao musical em orquestra de cordas e banda, que aos 14 anos imigrou com a famlia (todos msicos) para a Colonia Independencia, hoje dirige uma orquestra. Na palestra LA VIDA MUSICAL Y CULTURAL DE LA REGIN INDEPENDENCIA tratou de seu trabalho de aulas de msica para as comunidades da regio em que vive. Falou em seguida o sr. HUBERTO LOBITZ BERGER BAYER, Perito Agrnomo, Membro Fundador e Gerente de Cooperativa. Sua palestra COOPERATIVISMO EN EL PARAGUAY, mostrou aos presentes sua enorme experincia no setor e como elas foram importantes nas comunidades alemes que se instalaram no Paraguai. Por ltimo falou o companheiro WILFREDO LAURA CONTRERAS, Licenciado en Educacion, Especialidad Historia y Geografia. Diretor do Colgio Secundrio TUPAC AMARU DE POZUZO, Coordinador General del Sesquicentenrio de la Fundacion de Pozuzo (1859-2009). Sua palestra POZUZO IST NUR EINS 150 AOS DE PRESENCIA AUSTRO-ALEMANA EN LA SELVA CENTRAL DEL PERU, nos deu uma mostra da chegada dos colonos, das dificuldades vivenciadas e da situao hoje dessa belssima regio peruana, encravada na selva amaznica, estava acompanhado em sua palestra pelo Alcalde de Pozuzo sr. PEDRO UBALDO. Foi uma excelente oportunidade para se conhecer a regio que em 2009, ser visitada por todos os participantes do VII CAAL. Encerrando o VI CAAL tivemos a palavra do sr. WILFREDO LAURA CONTRERAS e do sr. PEDRO UBALDO, de Pozuzo-PERU, que fizeram a apresentao dos trabalhos j realizados para o VII CAAL 2009. A idia central transportar os participantes do encontro de forma conjunta da capital Lima at Pozuzo, num percurso de 500 km4000 metros at chegarmos a Pozuzo que fica a 800 metros. Falou em seguida a srta. MAIT MORGANA UHLMAN do CONVENTIONS BUREAU DE JOINVILLE-SC, que fez a apresentao de sua belssima cidade que ser a sede do VIII CAAL de 2010, trazendo consigo uma grande e animada delegao, inclusive a Rainha das Flores da cidade e j nos apresentou alguns projetos que podero ser desenvolvidos para o encontro. Com as apresentaes, ficaram definidas a realizao do VII CAAL em Pozuzo, Peru, em 2009 e o VIII CAAL em Joinville, Estado de Santa Catarina, Brasil, em 2010. aproximadamente, para que todos possam admirar a magnfica paisagem da viagem, atravs dos Andes peruanos, a uma altura de
Antes do encerramento o Presidente da FECAB Jorge W. Globig, referiu-se da pr-candidatura ao X CAAL (2012) em Tovar, Venezuela, apresentada pelo sr. Esteban Bocaranda, da pr-candidatura de Paran, Argentina ao IX CAAL (2011) pelo sr. Jos Gareis e tambm da pr-candidatura de Frutillar, Chile ao IX CAAL, em 2011, proposta enviada pelo sr. Klaus Weidinger. Uma demonstrao de que a idia dos Encontros das Comunidades Alemes da Amrica Latina um processo que se vem consolidando cada vez mais.
Na cerimnia de encerramento foram entregues os certificados de participao do VI CAAL a todos presentes, e podemos concluir que este encontro teve aspectos positivos e negativos, mas conseguiu dar aos participantes uma idia de grandiosidade da cultura germnica em nosso continente, dos trabalhos hoje desenvolvidos por seus descendentes para que todo este arsenal de usos e costumes no se perca ao longo dos anos. Com uma equipe organizadora pequena, mas unida e acima de tudo trabalhadora foi possvel, merc das enormes dificuldades encontradas. Mesmo assim tivemos a participao de 07 estados brasileiros e seis paises da Amrica do Sul, inclusive o URUGUAI, pois o nosso querido amigo PIETRO SANDRI POLI, idealizador do CAAL, veio de Montevidu no ltimo dia para abrilhantar e comprovar que a sua idia e a sua luta no foi em vo. Nossos sinceros agradecimentos a todos os patrocinadores, colaboradores e a todos que deram sua parcela de contribuio para o xito do VI ENCONTRO DAS COMUNIDADES ALEMS DA AMRICA LATINA, inscrevendo para sempre no seio das comunidades alems da Amrica Latina os nomes de JUIZ DE FORA MG e PETRPOLIS RJ.

MUITO OBRIGADO A TODOS.
NILO SRGIO FRANCK
PRESIDENTE DA COMISSO ORGANIZADORA DO VI CAAL

Ainda no comentado.