Tefilo Otoni

Nilo Franck

Geral

// - :

VIAGEM  A  TEÓFILO  OTONI  EM  JULHO  DE  2009


 



Nos dias 23 e 24 de julho deste ano estivemos em Teófilo Otoni nordeste de Minas Gerais para participar das festividades alusivas aos 153 anos da IMIGRAÇÃO ALEMÁ naquele municipio. Fomos recebidos pelo maravilhoso casal ROBERTO E DALVA KEIM, que aproveitaram a visita para nos mostrar a cidade e a sua área rural . Estima-se que hoje a cidade conta com 35 a 40 mil descendentes de alemães, e boa parte deste contingente está localizado na área rural do município dedicando-se a agricultura, plantio e flores  e plantas ornamentais, além da criação de gado. É uma linda região que oscila entre os 300 a 600 metros de altitude. O nome da cidade homenageia o seu fundador TEÓFILO BENEDITO OTTONI, nascido na VILA DO PRINCIPE em 27 de janeiro de 1807 e falecido no RIO DE JANEIRO em 17 de outubro de 1869. Na década de 50 do século XIX ele fundou uma empresa de comércio e colonização no interior de Minas Gerais, a COMPANHIA DE COMÉRCIO E NAVEGAÇÃO DO RIO MUCURI. Através de sua Companhia do Mucuri, lidera expedições pelo Nordeste Mineiro, buscando uma saída das Minas para o mar, a fim de facilitar o escoamento da produção agrícola da região. Uma expedição partiu da CARAVELAS (SUL DA BAHIA) e outra de MINAS NOVAS (mg). No local onde as duas expedições se encontraram, TEÓFILO OTONI fundou a sua FILADÉLPHIA, hoje TEÓFILO OTONI em 07 de setembro de 1853. Hoje a cidade está a 450 km de BELO HORIZONTE, e tem uma população em torno de 160.000 habitantes. Em 27 de julho de 1856, chegam a FILADELPHIA os primeiros colonos suíços e alemães como consequencia do anuncio mandado publicas nos jornais da ALEMANHA, pela firma SCHOLOBACH e MORGENSTER. O município foi durante boa parte do século XX, um grande produtor de café, mas a partir da década de setenta, a produção decaiu e hoje quase não se vê plantio deste produto.A ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE COLONOS ALEMÃES DE TEÓFILO OTONI, foi criada em abril de 2008, tendo como primeiro presidente a SRA DALVA NEUMANN KEIM. Seus objetivos são o de resgatar a história dos antepassados que chegaram àquela região em 1856, dando aos atuais descendentes apoio para mostrar sua produção e tudo aquilo que foi passado de pai para filho até os dias atuais, no que concerne a culinária, artezanato, usos e costumes. Ainda se fala alemão na cidade, o contingente de luteranos é bem expressivo, a Igreja é muito bonita e nos seus arredores a comunidade de descendentes promove uma FESTA ALEMÃ no mês de maio. Quero agradecer muito ao casal ROBERTO E DALVA KEIM, pelo carinho e esmero com que me receberam e dizer a eles que estarei sempre ao dispor para ajudar naquilo que for possivel.


 


Ainda no comentado.