Especial Festa Alem 2010 Borboleta

Nilo Franck

Geral

// - :














     HISTÓRIA DAS FESTAS ALEMÃS REALIZADAS NO BAIRRO BORBOLETA – JUIZ DE FORA – MG


               


                    “ ....Precisamente às 1730 horas após meio dia exato de viagem, chegou o IMPERADOR D PEDRO II a JUIZ DE FORA, sob entusiásticas aclamações, numa festa de espontânea vibração cívica e cheia do sentido humano da simpatia. A estrada estava guarnecida em alas pelos COLONOS DA COLONIA D PEDRO II, separadas pela ordem de sexo e idades, seguiam os alunos do COLÉGIO ROUSSIN, em número de mais ou  menos oitenta. O povo não continha sua animação, acorrendo de todos os lados em vibrantes aclamações. Assim, sob o HINO NACIONAL executado pela BANDA DE MÚSICA DA COLÕNIA, chegou a comitiva imperial à chácara de MARIANO PROCÓPIO, que estava reservada ao uso dos IMPERADORES E PRÍNCIPES...”.


                Na verdade talvez tenho sido esta a PRIMEIRA DEUTSCHES FEST, que os nossos antepassados puderam realizar depois de chegarem ao nosso país ou a nova terra prometida. Enfim depois de tantos sofrimentos puderam ter eles um dia de glória que vale a pena relembrar e agradecer a DEUS por isso.  O texto acima escrito é tirado do capítulo que conta a  VIAGEM IMPERIAL que D PEDRO II fez a JUIZ DE FORA-MG, para inaugurar a NOVA RODOVIA UNIÃO INDÚSTRIA, na verdade a primeira rodovia do Brasil. (LIVRO MARIANO PROCÓPIO FERREIRA LAGE – SUA VIDA – SUA OBRA – SUA DESCENDÊNCIA de WILSON LIMA BASTOS – JUIZ DE FORA – MG 1961 – EDIÇÕES CAMINHO NOVO)


     A nossa ex-presidente da ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL ALEMANHA solicitou a minha esposa DILZA MASSON FRANCK,  uma matéria que contasse um pouco da história da DEUTSCHES FEST. Depois de uma longa pesquisa cujos dados vão ser colocados ao final deste histórico a matéria foi publicada no site www.culturalemajf.com.br , contando fatos que fazem parte da história da DEUTSCHES FEST (FESTA ALEMÃ), do BAIRRO BORBOLETA, um dos bairros mais importantes da nossa JUIZ DE FORA. Nós vamos aproveitar a primeira parte desta matéria e acrescentar alguns dados a esta história, sempre com a ajuda do amigo SAMUEL LIMA, e a colaboração sempre muito importante da DILZA. O Samuel   tem um enorme arquivo de fatos deste evento ou seja todos os folders das quinze edições da festa.


     “Em 15 de setembro de 1930, o CURA VICENTE ZAY celebrou a primeira missa no local ( o altar foi a mesa da copa do SR FRANCISCO SCHAEFFER – FRANZ), benzendo solenemente o CRUZEIRO doado pelo SR JÚLIO MENINI (PRESIDENTE DA COMISSÃO), realizando também a primeira festa (festival) em benefício da construção da CAPELA. Desta data até o término da construção, realizaram-se festivais no local, com barraquinhas, leilões, e as mais variadas promoções com o objetivo de angariar fundos para a obra. Destacavam-se as barracas de bolos e rocamboles, as mais procuradas, como o são até os dias de hoje, nas festas. (CLEMENTE 1990-PG 24 – LIVRO O BAIRRO BORBOLETA E A IGREJA SÃO VICENTE DE PAULO).


     Essas citações de VICENTE CLEMENTE, não poderiam deixar de serem escolhidas, como o início mais fidedigno da história da FESTA ALEMÃ (DEUTSCHES FEST), em nosso site. Vale acrescentar que as festas promovidas pela Igreja São Vicente eram sempre animadas por uma banda, muitas vezes a do SEGUNDO BATALHÃO DA POLICIA MILITAR DE MINAS GERAIS, o querido  DOIS DE OURO, que causava admiração nas crianças, jovens, adultos e muitas recordações boas às vovós  e vovôs presentes; aliás esta tradição voltou a acontecer na DÉCIMA TERCEIRA FESTA ALEMÃ promovida pela ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL ALEMANHA, em 2007, quando a BANDA DO DOIS DE OURO, novamente se apresentou na abertura do evento, para delírio daquelas crianças da década de trinta, quarenta e cinqüenta do século passado, que hoje como pais e avós rememoram com emoção esse tempo maravilhoso vivido e puderam repassar aos seus filhos e netos essa emoção. Imigrantes chegaram em JUIZ DE FORA em 1858, oriundos do Império Austríaco, dos reinos da Prússia (147 pessoas), Hannover, Baviera, Dinamarca, dos Grão Ducados de HESSEN (355 pessoas), do TIROL (227 pessoas), LUXEMBURGO de diversos principados e condados, além de cidades livres como Hamburgo, Bremen, etc. Seus descendentes sofreram várias perseguições, e o medo fez com que escondessem suas tradições, assim foram extinguindo-se a cultura, a língua já não era mais falada, e com a morte dos primeiros colonos, a caracterização da antiga colônia ia se perdendo, pois assim os seus descendentes iam dando lugar aos costumes e hábitos de sua então PÁTRIA BRASIL ( “STEHLING” – 1979 página 115 – LIVRO JUIZ DE FORA A COMPANHIA UNIÃO INDUSTRIA E OS ALEMÃES)). Até que um grupo de amigos liderou um movimento de resgate destas tradições, e em 27 de agosto de 1967, foi fundado O CENTRO FOLCLÓRICO TEUTO-BRASILEIRO DE JUIZ DE FORA, tendo como primeiro presidente o SR JOSÉ EMÍLIO KELMER. (DILLY – 2007 – ARQUIVOS INSTITUTO TEUTO BRASILEIRO WILLIAM DILLY-JUIZ DE FORA – MINAS GERAIS).


                                    AS  PRIMEIRAS FESTAS  ALEMÃS


    O CENTRO FOLCLÓRICO TEUTO-BRASILEIRO, iniciou suas atividades promovendo a PRIMEIRA FESTA ALEMÃ EM 1969 NO BAIRRO BORBOLETA. Com grande repercussão em JUIZ DE FORA e com a participação de toda a comunidade do bairro foram instaladas barracas típicas da cultura germânica. Segundo o HISTORIADOR ROBERTO DILLY “O ESPÍRITO DOS LIDERES DO MOVIMENTO CONTAGIOU A CIDADE COM GRANDE EMOÇÃO, COM DISCIPLINA E COM O APOIO E A PARTICIPAÇÃO DO ENTÃO PREFEITO, EX PRESIDENTE DA REPÚBLICA E PRESIDENTE DE HONRA VITALÍCIO DO INSTITUTO TEUTO-BRASILEIRO WILLIAM DILLY SR ITAMAR AUGUSTO C. FRANCO”. O valor e o sucesso da primeira festa fez com que a diretoria do então CENTRO FOLCLÓRICO promovesse mais quatro festas, chamadas às vezes de FESTIVAL DE CHOPP. De acordo com moradores do bairro, a SEGUNDA FESTA ALEMÃ que não aconteceu em outubro de 1871, foi transferida para o ano seguinte 1972 em respeito ao falecimento de um morador do bairro. A TERCEIRA FESTA ALEMÃ foi em 1975, junto a IGREJA LUTERANA DO BAIRRO. Em 1990 a QUARTA FESTA ALEMÃ, junto a IGREJA SÃO VICENTE DE PAULO, foi realizada para angariar fundos com o objetivo de dar continuidade as obras de ampliação da antiga capela. (CLEMENTE – 1990 PG 27). Em 1991 a QUINTA FESTA ALEMÃ foi realizada com a IGREJA SÃO VICENTE DE PAULO novamente. Festejos esses sempre com muito chopp, danças, pães caseiros, comida e tortas típicas. As primeiras festas sempre eram iniciadas com um CULTO ECUMÊNICO ENTRE CATÓLICOS E LUTERANOS.


                                             A   ATUAL    DEUTSCHES   FEST


    A partir de 1992 novamente a comunidade do bairro e desta vez, com a voz dos jovens que dançaram em festas anteriores, mobilizaram-se aos líderes da comunidade do bairro, mais uma vez sentiram necessidade de agregarem-se em torno de uma associação com propósitos de preservar as tradições culturais deixadas por seus antepassados colonos; e, dando ênfase as danças folclóricas germânicas e, valorizando também a cultura brasileira de diversas etnias. Deste movimento surge em 1993 a ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL-ALEMANHA, cuja fundação acontece a 27 de abril de 1993, tendo como primeiro Presidente o SR WAGNER CANELLAS DA COSTA. Sem fins lucrativos, sediada no BAIRRO BORBOLETA , filiada a CASA DA JUVENTUDE DE GRAMADO-RS e a FEDERAÇÃO DOS CENTROS DE CULTURA ALEMà DO BRASIL – FECAB-RS. Mais tarde reconhecida de utilidade pública, através da LEI MUNICIPAL 10.774, passa a ser promotora da festa alemã e mantenedora do SCHMETTERLING GERMANISCHE VOLKSTANZGRUPPE. MARIA DAS GRAÇAS SCHAEFER filha do bairro, neta de alemães, que com grande perseverança e amor à cultura alemã e brasileira, não mediu esforços e foi aos mais longínquos lugares buscar suas raízes culturais, conhecer mais sobre a cultura alemã e aprender danças folclóricas para ensiná-las aos jovens. Nessa época ela fundou e fortaleceu a fundação de vários grupos de danças no bairro, tais como: SCHMETTERLING, MUNIQUE E KINDER , que abrilhantaram as festas de 1990 e 1991 além de outras apresentações pela cidade. A criação da ASSOCIAÇÃO teve como uma das conseqüências a fusão desses grupos num só o SCHMETTERLING. Esse nome foi dado ao GRUPO em homenagem à história do bairro: “....ACH SCHMETTERLING, DU FLIENTE IMMER ZUM FENSTER RAUS...” que significa OH BORBOLETA, TU SEMPRE VOAS PARA FORA DA JANELA ... CLEMENTE - 1990 PG 16. A ASSOCIAÇÃO realiza a DEUTSCHES FEST anualmente em JUIZ DE FORA, a partir de 1995 e este evento faz parte do CALENDÁRIO OFICIAL TURÍSTICO DA CIDADE DE JUIZ DE FORA, através da LEI MUNICIPAL  11.714  DE 12/12/2008 sancionada pelo então PREFEITO DE JUIZ DE FORA JOSÉ EDUARDO ARAÚJO, cujos termos são os seguintes:  ...’DISPÕE SOBRE A INSTITUIÇÃO NO CALENDÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO DE JUIZ DE FORA....  ART 1 – FICA INSTITUÍDO NO CALENDÁRIO DO MUNICÍPIO DE JUIZ DE FORA O EVENTO “FESTA ALEMÔ ART 2 – A PREFEITURA DE JUIZ DE FORA FACILITARÁ AS ATIVIDADES PROMOVIDAS NO EVENTO ELENCADO NA LEI.   A autoria do PROJETO DE LEI é do VEREADOR BRUNO SIQUEIRA ....” A principal atração da DEUTSCHES FEST é o GRUPO DE DANÇAS SCHMETTERLING, apresentando-se todos os dias. Todos os anos no palco da festa  se apresentam corais, bandas folclóricas, orquestras, grupos folclóricos de várias etnias. As barracas são uma atração a parte:  sempre muito bem decoradas levam o nome das famílias alemãs cujos descendentes ainda moram no bairro. O cardápio é típico alemão. São oferecidos deliciosas tortas, pães, biscoitos, chucrute, joelho de porco, salada de batatas etc. Ainda presentes os boxes com artesanato e souvenirs, com destaque para o BOXE DA ASSOCIAÇÃO que anualmente vende os canecos da festa, camisas e bottons, diversos. Nos anos de2007 e 2008 foi feito um trabalho para que tivéssemos BANDA PRÓPRIA e foi possível a apresentação DA SCHMETTERLING KAPELLE, (BANDA SCHMETTERLING). Com este projeto visava-se a formação de músicos na própria associação os quais substituiriam gradualmente os músicos da banda, todos de JUIZ DE FORA e também uma gradual diminuição dos custos que um conjunto como este custava; além disso foi preparado um álbum com partituras para 11 instrumentos escrito pelo mestre da banda TEM RÔMULO, com 22 músicas: nos primeiros dois anos o custo diminuiu em 50%. Infelizmente o projeto não foi levado adiante. A DEUTSCHES FEST é um evento que tem cobertura dos principais veículos de comunicação da cidade; público de diferentes perfis de acordo com os horários e programação. São sempre pessoas que amam as artes, apreciam e respeitam a diversidade cultural do nosso povo brasileiro. A festa não seria possível se não acontecessem as parcerias, A PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, sempre foi uma das principais colaboradoras da festa desde a sua primeira edição, a FUNALFA montou durante todos os anos as barracas dos restaurantes, boxes e o palco para a apresentação das danças e bandas. Temos como patrocinadores hoje com muito orgulho para nós a CERVEJARIA ITAIPAVA E O FRIGORÍFICO SOUZA BARTELS, além de outras entidades que serão citadas a seguir. É importante citar na oportunidade que várias gerações de jovens, (hoje muitos deles pais e mães dos atuais integrantes do grupo)  participaram e deram a sua valiosa colaboração, pois dançar na festa não significa só 05 dias de apresentação. São mais de 06 meses de ensaios realizados predominantemente aos domingos, quando ao invés de saírem para a diversão adentram no prédio da ASSOCIAÇÃO para ensaios que duram em média 120 minutos . Por isso reafirmamos que se não fosse o trabalho, a dedicação, a competência e principalmente o espírito comunitário das pessoas do bairro BORBOLETA e a herança cultural dos nossos antepassados, não seria possível uma atividade de tamanha envergadura. A seguir passaremos a mostrar alguns dados interessantes sobre esta festa, estamos levando em conta as 15 edições realizadas pela ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL ALEMANHA. Os dados a seguir apresentados fazem parte dos folders da festa guardados com muito carinho pelo amigo SAMUEL LIMA.


PRIMEIRA DEUTSCHES FEST - 1995


    Ela aconteceu de 07 a 10 de setembro, e foi iniciada com uma  Caminhada da Fraternidade que saiu do MARCO CENTENÁRIO até o local da festa. Em seguida aconteceu o CULTO ECUMÊNICO celebrado pelo saudoso PE JOÃO FAGUNDES HAUCK e pelo PASTOR LUIZ PAULO GEIGER; A abertura oficial deu-se as 1700 horas com a presença do então PREFEITO CUSTÓDIO MATTOS;  As categorias do GRUPO FOLCLÓRICO DE DANÇAS GERMANICA SCHMETTERLING aconteceu da seguinte forma: INFANTIL, JOVEM E JUVENIL  E O SCHMETTERLING. A Banda foi A TANNEMBAU de PETRÓPOLIS  que se apresentou nos dias 09 e 10 de setembro. Os grupos convidados foram os seguintes; LUIZ DE CAMÕES DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE JUIZ DE FORA, e o 29 DE JUNHO e MOSEL de PETRÓPOLIS. O apoio foi da PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA


SEGUNDA DEUTSCHES FEST - 1996


    Acontece de 06 a 08 de setembro e foi iniciada pela Caminhada da Fraternidade que saiu do MARCO CENTENÁRIO até o local da festa. Em seguida foi realizado um CULTO ECUMÊNICO e posteriormente a ABERTURA OFICIAL com a presença do então PREFEITO CUSTÓDIO MATTOS. A banda mais uma vez foi A TANNEMBAUN de PETRÓPOLIS que esteve presente nos três dias da festa. Nesse ano o GRUPO SCHMETTERLING se apresentou com duas categorias a saber:  INFANTIL E ADULTO. Os grupo convidados foram O GRUPO FOLCLÓRICO GERMÂNICO BERGSTADT  e o MOSEL VOLKSTANZ  ambos de PETRÓPOLIS. Mas a novidade da festa foi a apresentação de um TEATRO DE FANTOCHE por alunos da ESCOLA SÃO VICENTE DE PAULO, no domingo as 1500 horas. O apoio cultural das seguintes instituições: PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, CHOCOLATES FINOS GRENOBLE, TUSMIL,  MADEIRA XINGUARA E PRESS TECNOLOGIA DIGITAL EM FOTOLITOS.


TERCEIRA DEUTSCHES FEST - 1997


   O folder da TERCEIRA DEUTSCHES FEST foi impresso em dois idiomas: PORTUGUES E ALEMÃO. O evento foi realizado de 04 a 07 de setembro e a grande atração foi sem dúvida a presença da BANDA SAN-BLU e do GRUPO FOLCLÓRICO ALEMÃO GUSTAV-BACH DE MASSARANDUBA – SANTA CATARINA. Como sempre acontecia a abertura deu-se com a CAMINHADA DA FRATERNIDADE e homenagem no marco da colonização, em seguida o CULTO ECUMÊNICO, celebrado pelo saudoso PE JOÃO FAGUNDES HAUCK e pelo PASTOR LUIZ PAULO GEIGER. Houve também a apresentação do CORAL SESI MINAS no dia 04. As categorias do SCHMETTERLING mais uma vez sofreram modificações e fora INFANTIL, INFANTO-JUVENIL E JOVEM. Os grupos folclóricos convidados foram o LUIZ DE CAMÕES DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE JUIZ DE FORA e o GERMÂNICO BERGSTADT DE PETRÓPOLIS. No domingo as 1700 horas aconteceu uma excepcional apresentação da ORQUESTRA FILARMÔNICA DE JUIZ DE FORA, com a execução do HINO NACIONAL BRASILEIRO em homenagem aos 175 anos da INDEPENDÊNCIA DO BRASIL. O apoio da festa foi da  PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, TUSMIL, CERVEJA KAISER E PRODUTOS STEPHAN, do querido amigo e primo LUIZ ANTONIO STEPHAN, que aliás era um dos grandes nomes da organização das festas, além da GRACINHA, TIA WILMA e outros baluartes, como SAMUEL LIMA, HILARINA, CRISTIANO e tantos outros.


QUARTA DEUTSCHES FEST – 1998


    Neste ano a festa é realizada de 03 a 07 de setembro e não tivemos nenhum GRUPO FOLCLÓRICO convidado na festa apenas as categorias KINDER, INFANTO-JUVENIL, JUVENIL E ADULTO do SCHMETTERLING, além da BANDA FOLCLÓRICA TANNENBAUM DE PETRÓPOLIS. Nesta festa tivemos algumas novidades como o DESFILE DOS GRUPOS DE DANÇAS FOLCLÓRICAS PELAS RUAS DO BAIRRO no dia 06, a inauguração da placa comemorativa aos ‘140 ANOS DA IMIGRAÇÃO ALEMÃ’, junto ao MARCO DO IMIGRANTE, apresentação de acordeon pelos alunos da PROFESSORA THEREZINHA DIAS BOBBIO e do MUSICAL INFANTIL “ROBSON E CIA”, com a peça “O FLAUTISTA MÁGICO”. O apoio neste ano mais uma vez da PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA e da MERCEDES BENZ


QUINTA DEUTSCHES FEST – 1999


    Realizada no período de 03 a 07 de setembro  a exemplo da festa anterior não tivemos grupos convidados Pela primeira vez vinha a JUIZ DE FORA, a banda GERMANOS DE SANTA MARIA DO JETIBÁ-ES, que se apresentou nos cinco dias da festa . Tivemos ainda a participação da ORQUESTRA FILARMÔNICA DE JUIZ DE FORA SOB A REGENCIA DO MAESTRO CIRO TABET. As quatro categorias do GRUPO SCHMETTERLING, KINDER, INFANTO-JUVENIL, JUVENIL, ADULTO. O apoio da PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, UNIMED, CASA PARATODOS, KAISER, ALUGASOM, PRODUTOS STEPHAN, GIRAMUNDO PIZZARIA.


SEXTA DEUTSCHES FEST – 2000.


   Na virada do milênio a festa acontece no período de 06 a 10 de setembro. Neste ano as atrações foram o GRUPO FOLCLÓRICO LUIZ DE CAMÕES DA SOCIEDADE PORTUGUESA DE JUIZ DE FORA, a estréia do GRUPO DE DANÇAS FOLCLÓRICAS ITALIANAS TARANTOLATO DE JUIZ DE FORA-MG e o KAISERSTADT KULTURKREIS DE PETRÓPOLIS. A Banda foi a mesma de 1999 GERMANOS DE SANTA MARIA DE JETIBÁ-ES. As quatro categorias do GRUPO SCHMETTERLING se apresentaram como nos últimos anos sempre com a mesma pompa e sucesso entre os visitantes  e como sempre as barracas com comidas típicas e boxes com artesanato e outros produtos. O apoio da PREFEITURA DE JUIZ DE FORA, FUNALFA, GIRAMONDO, PRODUTOS STEPHAN, ALUGASOM, CASA PARATODOS E CHOPP KAISER. Anos depois desta estréia nos veio a curiosidade de saber porque TARANTOLATO, e então tivemos a resposta através do HISTÓRICO DO GRUPO. “...Tarantolato, o nome do Grupo, significa PICADO DE TARANTULA, isto porque diz uma lenda que tarantela, a dança especialmente executada pelo grupo, vem da TARÂNTULA-ARANHA comum no sul da Itália. Ao picar as pessoas o seu veneno provoca certa loucura e melancolia. A dança Tarantella, tem seus movimentos rápidos teria a finalidade de curar, eliminando o veneno, através do suor...”


SÉTIMA DEUTSCHES FEST – 2001


    Com muitas novidades a festa aconteceu no período de 05 a 09 de setembro. E tivemos no primeiro dia a homenagem a ESCOLA DE SAMBA JUVENTUDE IMPERIAL, que homenageou a colonização alemã no último carnaval. No segundo dia a apresentação do GRUPO FOLCLÓRICO MACAUÃ SESC/JF, tradicional grupo da cidade, e no final da noite O BRAZILIAN JAZZ TRIO, que trouxe um som diferente do que todos nós estávamos acostumados durante as festas. Tivemos ainda o GRUPO FOLCLÓRICO LUIZ DE CAMÕES DA SOCIEDADE PORTUGUESA, DO GRUPO FOLCLÓRICO ITALIANO TARANTOLATO, GRUPO FOLCLÓRICO BERGSTADT CATEGORIAS JUVENIL E MASTER DE PETRÓPOLIS, GRUPO FOLCLÓRICO KOBLENZ DE PETRÓPOLIS, MOSEL VOLKSTANZE GRUPP DE PETRÓPOLIS, DO GRUPO FOLCLÓRICO ÁRABE DO CLUBE SÍRIO E LIBANÊS DE JUIZ DE FORA, portanto uma verdadeira festa de etnias; foram belíssimos espetáculos proporcionados por nossos grupos co-irmãos. Mas o grande momento estaria reservado para as 22.10 H do dia 07 de setembro quando aconteceu a estréia de uma nova categoria do GRUPO SCHMETTERLING – a categoria MASTER, que se preparou em apenas um mês. Foi uma apresentação inesquecível, comovente e que nos fez a todos chorar de alegria pela vitória alcançada. A Banda foi a ESFERA DE SANTA MARIA DO JETIBÁ-ES (GERMANOS) que pela terceira vez consecutiva veio se apresentar na festa. Tivemos no dia 07 ainda uma hora cívica as 1700 horas e no dia 09 um concerto da ORQUESTRA FILARMÔNICA DE JUIZ DE FORA. O apoio da PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, CESAMA, DEMLURB, DEPARTAMENTO DE TURISMO, FUNALFA, UNIMED, CREME DENTAL CONTENTE, GERHEIM BIERHAUS CHOPP KAISER, P&O THE KID’S JEANS, MM ELÉTRICA, PRODUTOS STEPHAN, GRÁFICA UNIÃO E APOIO DE SANDRO SCHEFFER. Homenageando a madrinha da categoria MASTER DO SCHMETTERLING a amiga NEISE LIOY, que a época dançava no GRUPO BERGSTADT – CATEGORIA MASTER, transcrevemos a seguir o histórico do ESTANDARTE DO GRUPO CO-RMÃO. “ ..Destaca a  CATEDRAL DE SÃO PEDRO DE ALCÂNTARA; PETRÓPOLIS como cidade das montanhas; casarios em estilo germânico ornamentados com hortênsias...”


OITAVA DEUTSCHES FEST – 2002


    Neste ano quase não tivermos festa, uma série de dificuldades rondavam a Associação próximo ao inicio do evento. Porém graças ao esforço e a garra de pessoas como HILARINA DAL MÉDICO, VERA SCHAEFER, SAMUEL LIMA  e dos integrantes do SCHMETTERLING a festa aconteceu no período de 05 a 08 de setembro.  Mesmo assim tivemos atrações e novidades muito interessantes na festa.Entre os grupos convidados estavam o GRUPO FOLCLÓRICO DE DANÇAS ITALIANAS TARANTOLATO, PORTUGUESA DA SOCIEDADE PORTUGUESA ÁRABE BALADI DO CLUBE SÍRIO E LIBANES, e a estréia em nossos eventos dos amigos DO GRUPO DE DANÇAS TRADICIONAIS DO C.T.G “GAUDÉRIOS DO SUL”. A banda que animou a festa foi a MUSIKANTEN DE PETRÓPOLIS nos dias 07 e 08 de setembro. As categorias kinder, infanto-juvenil, juvenil, adulto e máster do GRUPO SCHMETTERLING, como sempre abrilhantaram a festa. O apoio da PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, DEMLURB, GERHEIM BIERHAUS, VERDURÃO, DA PONTE ALIMENTOS, AÇOUGUE DU BETO, CHOPP KAISER, P&O THE KID’S JEANS, FUNALFA, DEPARTAMENTO DE TURISMO, CESAMA e a sonorização foi do grupo; DELTA. A sigla CTG significa CENTRO DE TRADIÇÕES GAÚCHAS. Para homenagear os amigos do CTG GAUDÉRIOS DO SUL , procurei uma definição do termo GAÚCHO, e encontrei  uma excelente definição no PARÁGRAFO ÚNICO DO ARTIGO SEGUNDO DOS ESTATUTOS SOCIAIS DO CTG FOGO DO CHÃO DE BLUMENAU-SC, QUE DIZ O SEGUINTE: “ O termo GAÚCHO e respectivas variações, tal como é entendido, representa todos aqueles que de uma forma ou outra, cultivam as tradições do homem do campo, do estancieiro e do vaqueiro, tendo no CAVALO, CHIMARRÃO e na MÚSICA, seus elementos essenciais.”  A palavra GALDÉRIOS designa um ser nômade errante. Alguns desse gaúchos, errantes por suas necessidades profissionais, acabaram conhecendo e gostando de JUIZ DE FORA e aqui constituíram um núcleo para cultivar suas gratas tradições. NO grupo de danças tradicionalistas aparecem as expressões PEÕES E PRENDAS, para designar rapazes e moças respectivamente.”


     NONA DEUTSCHES FEST – 2003:


     Realizada no período de 04 a 07 de setembro pela primeira vez a festa não teve a participação de BANDA TÍPICA. Tivemos no entanto, o CONCURSO DE RAINHA E PRINCESAS DA FESTA, cujas faixas foram entregues na SOLENIDADE DE ABERTURA. Dentre as atrações destacamos O GRUPO FOLCLÓRICO ITALIANO TARANTOLATO, PORTUGUES DA SOCIEDADE PORTUGUESA, CTG GAUDÉRIOS DO SUL , ÁRABE BALADI DO CLUBE SÍRIO E LIBANÊS e tres novidades: O EDELWEISS ALPENBUNE TANZ GRUPPE do Instituto TEUTO-BRASILEIRO WILLIAM DILLY, DANÇAS FLAMENCA DA ACADEMIA CORPUS NÚCLEO DE DANÇA PROF ROSANA RIBEIRO E DO GRUPO ILÔ ROMANÔ DE CULTURA CIGANA DA FUNDAÇÃO SANTA SARAH KALI DO RIO DE JANEIRO. As categorias KINDER, INFANTO-JUVENIL, JUVENIL, ADULTO E MASTER DO GRUPO SCHMETTERLING como atrações permanentes da festa. O apoio da PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, FUNALFA, DEPARTAMENTO DE TURISMO, DEMLURB, CESAMA, O CHOPP BAVARIA, POWER INTERNET, PEDREIRA SANTO CRISTO, HAIDER-SUPERMERCADO, ALIMENTOS DA PONTE E ANTIQUÁRIO CANTO DO ENCANTO. O Grupo EDELWEISS foi fundado em 26 de outubro de 1999 e através do seu nome conta a historia da FLOR EDELWEIIS que transcrevemos a seguir: “ .... è uma flor muito rara encontrada nos ALPES AUSTRÍACOS também conhecida como “A FLOR DO AMOR”. Pela grande dificuldade de ser encontrada, a flor levava os homens apaixonados à difícil jornada de escalarem montanhas cobertas de neve para procurarem por ela. Os poucos que a encontraram ofereciam-na a mulher amada como prova de seu amor....”.     O flamenco possui origens incertas e enigmáticas, sabe-se no entanto, que nasceu na baixa ANDALUZIA (REGIÃO SUL DA ESPANHA). Recebeu influencia do povo andaluz e dos povos que lá imigraram, como os mariscos, judeus, árabes, indús e paquistaneses.  Esta fusão de culturas tão diversas com uma influência da cultura dos gitanos (povo cigano nômade), originou as raízes da cultura flamenca. Nossas homenagens a estes co-irmãos que maravilhosamente expressam sua cultura através da dança.


DÉCIMA DEUTSCHES FEST – 2004


    Mais uma vez sem a presença de uma BANDA TÍPICA a festa foi realizada de 02 a 07 de setembro, apresentando grupos convidados a saber; DANÇAS FLAMENCAS DA ACADEMIA CORPUS NÚCLEO DE DANÇAS – PRF ROSANA RIBEIRO, GRUPO DE DANÇAS PORTUGUESAS LUIZ DE CAMÕES DA SOCIEDADE PORTUGUESA, BAUERGRUPPE DANÇA FOLCLÓRICAS DE PETRÓPOLIS, CTG GAUDÉRIOS DO SUL, GRUPO TARANTOLATO DA CASA D’ITÁLIA DE JUIZ DE FORA, KOBLENZ DE PETRÓPOLIS, PETRÓPOLIS DANÇAS FOLCLÓRICAS, EDELWEISS ALPENBUNE TANZ GRUPPE. Neste ano fomos presenteados com um verdadeiro espetáculo, ou seja e apresentação da ORQUESTRA SINFÔNICA JOVEM DO PRÓ-MÚSICA sob a regência do MAESTRO NELSON NILO HAACK. Tivemos ainda a visita muito querida dos amigos do GRUPO FOLCLÓRICO GERMANICO ALTE HEIMAT DE CURITIBA-PR  E DO GRUPO FOLCLÓRICO DUQUE DE CAXIAS DA MESMA CIDADE, que nos brindaram com um primorosa apresentação. Tivemos neste ano a estréia da categoria MANN TANZ do GRUPO SCHMETTERLING e das categorias se apresentando diariamente, arrancando aplausos de todos quantos estiveram presentes à festa. O apoio da PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, DEPARTAMENTO DE TURISMO, FUNALFA, CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, DEMLURB, CESAMA, A ESTREIA DA CERVEJARIA ITAIPAVA NO EVENTO, BIJUTERIAS MASSON, DEL BELLO, SANTA CRUZ SHOPPING, REDE UNIDA, A ESTREIA DO FRIGORIFICO SOUZA BARTELS E O APOIO DE SANDRO SCHEFFER. O GRUPO FOLCLÓRICO GERMÂNICO ALTE HEIMAT foi fundado em 10 de abril de 1964, por HELMUT ABECK, ISA MARCHMANN E INGBORG ULRICH . Seu nome significa “ANTIGA PÁTRIA”.Desde a sua fundação o grupo realiza apresentações pelo Brasil e países vizinhos. Participou da inauguração do TEATRO GUAÍRA e todos os anos se apresenta no FESTIVAL FOLCLÓRICO E DE ETNIAS DO PARANÁ, realizado na primeira quinzena do mês de julho.


DÉCIMA PRIMEIRA DEUTSCHES FEST – 2005


    Neste ano voltamos a ter BANDA TÍPICA com a presença dos GERMANOS DE SANTA MARIA DE JETIBÁ-ES.  A festa acontece no período de 06 a 11 de setembro.Tivemos ainda o surgimento de uma nova categoria a kinder garten formada por crianças de até 07 anos. Como convidados os GRUPOS FOLCLÓRICO ITALIANO TARANTOLATO, O PETRÓPOLIS DANÇAS FOLCLÓRICAS, do KAISERSTADT KULTURKREIS DE PETRÓPOLIS e do GRUPO DE DANÇA CIGANA ILÔROMANÔ. Todas as demais categorias do GRUPO SCHMETTERLING também se apresentaram. A novidade ficou por conta da apresentação do CORAL TREM DE MINAS DE JUIZ DE FORA. A história dos ciganos pode ser dividida em três partes: A ORIGEM, A DISPERSÃO E A SITUAÇÃO ATUAL. A concentração maior desse povo fica na EUROPA, principalmente na EUROPA OCIDENTAL, na África (Egito, Argélia e Sudão). Nas Américas o contingente está distribuído dos Estados Unidos à Argentina, tendo uma maior concentração em território brasileiro. Em 1975 o número de ciganos era de sete a oito milhões em todo o mundo. No Brasil mais particularmente no RIO DE JANEIRO existe dois grandes grupos de ciganos; O ROM E O CALOM. (site guardioesdaluz.com.br). o apoio PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, COMPANHIA HAPPY TOYS, FUNALFA, CESAMA, DEL BELLO, SOUZA BARTELS, POLICIA MILITAR MASSON BIJUTERIAS, SERVIR REFEIÇÕES, CHOPP ITAIPAVA, TRANSARTE, CULTURAL BAR & ROLL, PT”JANIO, HAIDER SUPERMERCADOS E EXTINTORES APAGUE J FORA LTDA.


DÉCIMA SEGUNDA DEUTSCHES FEST – 2006


      A festa foi realizada no período de 05 a 10 de setembro e dentre as atrações destacamos: Apresentação do GRUPO DE DANÇAS FLAMENCAS DA ACADEMIA CORPUS NUCLEO DA PROF ROSANA RIBEIRO, APRESENTAÇÃO DE FANFARRA, GRUPO AXÉ CRIANÇA, MÉDICOS DO BARULHO, GRUPO MACAUÂ JUIZ DE FORA-SESC, CHRISTIAN MORGENSTERN/CANÇÕES DA FORCA POR JORGE BRUNIS, GRUPO FOLCLÓRICO ITALIANO TARANTOLATO, KOBLENZ VOLKSTANZ GRUPPE E PETRÓPOLIS DANÇAS FOLCLÓRICAS DE PETRÓPOLIS-RJ, GRUPO DE DANÇAS PORTUGUESAS LUIZ DE CAMÕES DA SOCIEDADE PORTUGUESA, UNIDANCI-UNIÃO DE DANÇAS CIGANAS. A banda foi BAUERBAND DE PETRÓPOLIS-RJ. O apoio PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, CESAMA, POLICIA MILITAR, FUNALFA, JC PRODUÇÕES, CHOPP ITAIPAVA E SOUZA BARTELS.


DÉCIMA TERCEIRA DEUTSCHES FEST – 2007


    A festa foi realizada de 05 a 09 de setembro. As atrações entre outras foram as seguintes: Na abertura uma apresentação da BANDA DE MÚSICA DO SEGUNDO BATALHÃO DA POLICIA MILITAR – O DOIS DE OURO, revivendo uma tradição contada no início deste histórico. GRUPO DE DANÇAS FLAMENCAS CORPUS NÚCLEO DE DANÇAS DA PROFESSORA ROSANA RIBEIRO, EDELWEISS ALPENBUNE TANZ GRUPPE, DANÇAS FOLCLÓRICAS PORTUGUESAS LUIZ DE CAMÕES DA SOCIEDADE PORTUGUESA, BAILARINA GISELLE FERNANDES DO GRUPO DE DANÇAS FOLCLÓRICAS CIGANAS, DANÇA ITALIANAS TARANTOLATO.               O nosso grupo passou a utilizar nova designação para cada categoria a saber: KINDERGARTEN (JARDIM DA INFANCIA), KLEINE KINDER (KINDER), GROSSE KINDER (INFANTO-JUVENIL), JUGENDLICHE (JUVENIL), ERWACHSENE (ADULTO), a estréia da categoria HEIMWEH (SAUDADE DE CASA), formada por ex-integrantes do grupo que voltam a fazer aquilo que amam que é dançar. A novidade ficou por conta da SCHMETTERLING KAPELLE (BANDA DO SCHMETTERLING) da ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL ALEMANHA um projeto montado em cima da perspectiva futura de formar uma banda composta por integrantes da ASSOCIAÇÃO. São músicos de JUIZ DE FORA, que se dispuseram a montar esta banda com o objetivo de se apresentar na festa.Sob a regência do MAESTRO TEM RÔMULO foram preparadas 22 músicas, cujas partituras  para 11 instrumentos musicais. É importante o estímulo dos integrantes do GRUPO DE DANÇAS para que esses músicos possam se sentir a vontade e se integrarem a nossa realidade. OS PATROCINADORES OFICIAIS FORAM CHOPP ITAIPAVA que a partir desta festa tem aplicado recursos para custear grande parte das despesas do evento e FRIGORÍFICO SOUZA BARTELS. O apoio PREFEITURA DE JUIZ DE FORA, POLICIA MILITAR, BRINQUEDOS TIO JOÃOZINHO, FUNALFA, CESAMA, ETYPRINT, AMAC, SPM BAIRRO BORBOLETA, LAS CASAS, HAIDER SUPERMERCADO, GASPARETTE, CIA DO PIJAMA, CBMAP (PELA PRIMEIRA VEZ A FESTA FOI MONITORADA ATRAVÉS DO EMPREGO DE CÂMERAS DE VIDEO), T’JANIO, SM SONORIZAÇÃO E EVENTOS, EMEBE TELECOMUNICAÇÕES..


 DÉCIMA QUARTA DEUTSCHES FEST – 2008 – ANO DO SESQUICENTENÁRIO DA IMIGRAÇÃO GERMÂNICA PARA JUIZ DE FORA.


      Neste ano especial para todos nós tivemos a realização do VI ENCONTRO DE COMUNIDADES ALEMÃS DA AMÉRICA LATINA, na Estação São Pedro no período de 03 a 05 de setembro. A festa realizada no período de 03 a 07 de setembro. As atrações mostradas na festa foram as seguintes: GRUPO FOLCLÓRICO PORTUGUES LUIZ DE CAMÕES DA SOCIEDADE PORTUGUESA, EDELWEISS ALPENBUNE TANZ GRUPPE, GRUPO DE DANÇAS FOLCLÓRICAS DA ASSOCIAÇÃO DE GRUPOS FOLCLÓRICOS ALEMÃES DE NOVA PETRÓPOLIS – RS, DO GRUPO DE DANÇAS DA ASSOCIAÇÃO DOS GRUPOS DE DANÇAS FOLCLÓRICAS ALEMÃS DE PETRÓPOLIS-RJ. Exposição de carros antigos, DKW-VEMAG. Mas a grande atração da festa estava reservada por um descendente de imigrantes alemães o nosso amigo VICENTE CLEMENTE (CLEMENS) lança o seu livro OS ALEMÃES E A BORBOLETA, prefaciado pela PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL ALEMANHA HILARINA DAL MÉDICO. Durante os 04 dias de festa ELE permaneceu atendendo a todos aqueles que procuravam pelo livro, no pátio da IGREJA SÃO VICENTE DE PAULO. Nesta festa tivemos a visita de descendentes de alemães do ESPIRITO SANTO, PETRÓPOLIS, SÃO PAULO, TEÓFILO OTONI (MG), PARANÁ, SANTA CATARINA, RIO GRANDE DO SUL, ARGENTINA, PARAGUAI, URUGUAI, VENEZUELA, CHILE E PERU, participantes do VI CAAL. Os patrocinadores oficiais CHOPP ITAIPAVA E FRIGORIFICO SOUZA BARTELS. O apoio PREFEITURA DE JUIZ DE FORA, POLICIA MILITAR, FUNALFA, CESAMA, EMEBE, AMAC, SPM BAIRRO BORBOLETA, LAS CASAS, CBMAP, HAIDER, T’JANIO, SINDICOMÉRICIO, MS SONORIZAÇAO E A SEGURANÇA DE EXTINTORES APAGUE JUIZ DE FORA LTDA. O livro OS ALEMÃES E O BORBOLETA foi um marco nas comemorações dos 150 anos da IMIGRAÇÃO GERMANICA EM JUIZ DE FORA. No texto HOMENAGEM – 1858-2008, o autor escreve o seguinte: “ DEDICAMOS ESTA OBRA, NESSE MOMENTO HISTÓRICO EM QUE COMEMORAMOS O SESQUICENTENÁRIO DA GRANDE IMIGRAÇÃO DE 1858, QUE OCASIONOU O INÍCIO DO DESENVOLVIMENTO DE JUIZ DE FORA, COM A CRIAÇÃO DA COLÔNIA ALEMÃ D PEDRO II, EM NOSSA CIDADE À IMORREDOURA IMAGEM DOS VALENTES IMIGRANTES ALEMÃES, QUE DEIXARAM SUA PÁTRIA, SEUS AMIGOS, SUAS FAMÍLIA, SAINDO EM BUSCA DE NOVOS HORIZONTES, ATÉ ENTÃO POR DEMAIS LIMITADOS EM SUA TERRA, ENFRENTANDO TODAS AS DIFICULDADE POSSÍVEIS E INIMAGINÁVEIS, POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADOS. AOS SEUS DESCENDENTES QUE CONTINUARAM SUA OBRA NESSAS MONTANHAS DAS MINAS GERAIS E QUE NOS DEIXARAM EXEMPLOS DE DETERMINAÇÃO E PERSISTÊNCIA NO TRABALHO, UNIÃO, AMOR AO PRÓXIMO, PELA ÍNDOLE CRISTÃ QUE TROUXERAM CONSIGO DA ALEMANHA.”  Agradecemos ao amigo VICENTE CLEMENTE a sua valiosa participação nessa memorável festa de 2008. A SCHMETTERLING KAPELLE animou o evento nos dias 05 e 06 de setembro.


DÉCIMA QUINTA DEUTSCHES FEST – 2008


    Em razão da GRIPE SUÍNA que atingiu nossa cidade, a festa teve que ser adiada para o período de 01 a 04 de outubro, o que de certo modo, prejudicou o fluxo de pessoas e a apresentações de atrações. Estiveram presentes O GRUPO DE DANÇAS ÁRABES ALIMAH DO CLUBE SIRIO E LIBANES, GRUPO DE DANÇAS FOLCLÓRICAS RHEILAND PFALZ DE PETRÓPOLIS –RJ KAISERSTADIT KULTURKREIS DE PETRÓPOLIS, TARANTOLATO DE DANÇAS ITALIANAS, DKWFEST ENCONTRO DE PROPRIETÁRIOS DE AUTOMÓVEIS DKW-VEMAG, APRESENTAÇÃO TEATRAL COM JORGE BRUNIS, CONCURSO DE CHOPP A METRO. Os patrocinadores oficiais CHOPP ITAIPAVA, FRIGORIFICO SOUZA BARTELS E CAIXA ECONOMICA FEDERAL. O apoio da PREFEITURA DE JUIZ DE FORA, LUNOBRE ESQUADRIA DE ALUMINIO, LEI DE INCENTIVO A CULTURA DO MINISTERIO DA CULTURA, CESAMA, MAXICAR, PORTE ENGENHARIA & ARQUITETURA, GRÁFICA AMÉRICA, POLICIA MILITAR CENTRAL GOURMET, HAIDER SUPERMERCADOS, FUNALFA, LOCAL, SPM BAIRRO BORBOLETA, B4MIDIA.


         As festas que virão poderão inseridas futuramente e esperamos que sejam muitas.Agradecemos a DEUS por chegarmos até aqui, foram 15 edições, com muito trabalho, sacrifícios, dedicação, determinação. Todos que trabalharam estão de parabéns. Nosso bairro BORBOLETA é único e não pode deixar morrer essa tradição.


 


                          &nb

Ainda no comentado.