Sul do Brasil

Nilo Franck

Geral

// - :














VIAGEM REALIZADA NO PERÍODO DE 29 DE JUNHO A 13 DE JULHO DE 2010 AO SUL DO BRASIL.


 


     Para participarmos do XI SEMINÁRIO NACIONAL DE PESQUISADORES DA HISTÓRIA DAS COMUNIDADES TEUTO-BRASILEIRAS, realizado no período de 01 a 03 de julho de 2010, no Salão de Atos da UNIVERSIDADE FEEVALE, em NOVO HAMBURGO-RS, bem como para realizar uma série de visitas a amigos nossos e assistir a espetáculo do 49 FESTIVAL FOLCLÓRICO E DE ETNIAS DO PARANÁ na cidade de CURITIBA-PR, viajamos ao sul do BRASIL no período de 29 de junho a 13 de julho de 2010.


    Saímos de Petrópolis-RJ no dia 29 de junho de 2010 depois de participarmos durante 03 dias da 21 BAUERNFEST, realizada no período de 25 de junho a 04 de julho. Nosso grupo de danças o SCHMETTERLING, participou da festa se apresentando no dia 27 de junho as 1530 horas, no palco BOHÊMIA DA FESTA. No primeiro dia pernoitamos na cidade de QUATRO BARRAS, município próximo a CURITIBA, estava muito frio. A cidade tem esse nome porque se refere às barras dos rios CANGUIRI, TIMBU, BRACAHUVAVA E CAPITANDUVA. O município tem uma população de 18.125 habitantes, formada predominantemente por italianos, portugueses, poloneses e alemães. No último dia 30 de maio a cidade comemorou os 130 anos da passagem do IMPERADOR D. PEDRO II, pela região onde hoje está o município. (DADOS DO site www.quatrobarrasparana.com.br da PREFEITURA DE QUATRO BARRAS). No segundo dia viajamos pela BR 116 e pernoitamos no Município de LAGES-SC. O município foi fundado em 1766, pelo bandeirante paulista ANTONIO CORREIA PINTO DE MACEDO, e se situa na região serrana do Estado, a uma altitude média de 900 mts. É uma bela cidade e hoje está com uma população estimada em 180.000 habitantes . E um importante pólo econômico do estado de SANTA CATARINA. No dia 01 seguimos viagem rumo a ESTEIO-RS,e o que mais nos chamou a atenção foi a travessia da ponte sobre o RIO PELOTAS, que separa os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, esta travessia foi feita por volta das 0900 horas, sob nevoeiro. Passamos por VACARIA, SÃO MARCOS, CAXIAS DO SUL, NOVA PETRÓPOLIS, PICADA CAFÉ, NOVO HAMBURGO, SÃO LEOPOLDO até ESTEIO, onde durante 04 dias ficamos na agradável companhia do casal amigo HILÁRIO/DILETA KLEIN. Depois de colocarmos o papo em dia, com os queridos amigos, fomos à noite participar da PALESTRA DE ABERTURA do XI SEMINÁRIO NACIONAL DE PESQUISADORES DA HISTÓRIA DAS COMUNIDADES TEUTO-BRASILEIRAS, na FEEVALE em NOVO HAMBURGO. A palestra MEMÓRIAS E VIVÊNCIAS: DESAFIOS E DIÁLOGOS COM RAÍZES, proferida pela DRA ELLEN FENSTERSEIFER WOORTMANN (UNB), com a coordenação da DRA ISABEL CRISTINA ARENDT, (UNISINOS/IHSL). Foi muito enriquecedora a fala da ilustre palestrante, bem como, o re-encontro com amigos muito queridos, estou me referindo ao ilustre PRESIDENTE DA FECAB JORGE WOLFGANG GLOBIG, meu amigo de viagens por esta tão querida AMÉRICA DO SUL, o amigo MAX MULLER SUPERINTENDENTE DA FUNDAÇÃO CARL HOEPCKE, e SILVIO ROCKENBACH representando o CONSULADO GERAL DA ALEMANHA EM PORTO ALEGRE E EDITOR DO SITE www.brasilalemanha.com.br.. No dia 02 retornamos a FEEVALE para assistirmos a MESA REDONDA 1 – POLÍTICA: AVANÇO TERRITORIAL E EMANCIPAÇÃO com a DRA DORIS REJANE FERNANDES (FAACCAT/IHSL), E DR RENE GERTZ (PUCRS/IHSL), MESA REDONDA 2 – DIÁLOGOS E NOVAS ABORDAGENS I: IMIGRANTES E INDÍGENAS – DRA CINTIA RÉGIA RODRIGUES (INSTITUTO BRASILEIRO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO –IBPEX – GRUPO EDUCACIONAL UNINTER E MS INÊS CAROLINE REICHERDT (UNIVERSIDADE FFEVALE). Na parte da tarde nos deslocamos para as SESSÕES DE COMUNICAÇÃO , me dirigindo especificamente para o setor V – PATRIMONIO E MEMÓRIA:EDUCAÇÃO PATRIMONIAL GUARDA DE ACERVOS. O tema por mim apresentado foi  ENCONTRO DAS COMUNIDADES ALEMÃS DA AMÉRICA LATINA – site www.franckalemao.com.br. Como tinha tão somente 10 minutos procurei ser bastante sucinto mostrando a minha preocupação em acumular neste site dados sobre este importante evento que anualmente acontece em vários países da AMÉRICA DO SUL, sendo 02 deles já realizados no BRASIL, o III em BLUMENAU e o VI em JUIZ DE FORA E PETRÓPOLIS. , recebendo em seguida um belo certificado da ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES DA HISTÓRIA DAS COMUNIDADES TEUTO-BRASILEIRAS, e me chamou atenção a assinatura do PREFEITO DE NOVO HAMBURGO – TARCÍSIO ZIMMERMANN cujo sobrenome foi tema de referência na apresentação que assistimos posteriormente em CURITIBA no 49 FESTIVAL FOLCLÓRICO E DE ETNIAS DO PARANÁ. Neste dia tivemos a notícia de que o BRASIL havia perdido para a HOLANDA e saia da COPA DA ÁFRICA DO SUL. No dia 03 infelizmente não podemos estar presentes no último dia do evento pois tínhamos de ir até o AEROPORTO receber os dois filhos que seguiriam viagem conosco: NILO JR E MARCELO . Com eles mais o HILÁRIO E DILETA seguimos no dia 04 de julho para a cidade de NOVA PÁDUA para conhecer a família da SRA DILETA, o irmão JORGE a irmã PRAXEDES mais outra irmã e os cunhados. Foi um fim de semana muito agradável, onde aproveitamos a oportunidade para saborear a tão famosa polenta dos italianos, a sopa de capeletti e outras iguarias da cozinha italiana.Passamos a noite num lugar muito bonito cercado de parreiras de uvas. No domingo 05 de julho visitamos a vinícola da família MIOZZO, e tivemos a oportunidade de saborear o bom vinho fabricado por ELES. Um pouco da história da cidade: Em 1886, sete famílias do VÊNETO-ITALIA, chegaram ao RIO GRANDE DO SUL para habitar a décima sexta légua do CAMPO DE BUGRES, hoje NOVA PÁDUA. Anos depois em 1991, a população de NOVA PÁDUA decidiu se emancipar através de PLESBICITO. Sua criação como município aconteceu em 20/02/1992, e tem hoje uma população em torno de 3000 habitantes, LINDA CIDADE! (site www.npadua.com.br). O nome do município é uma homenagem à cidade italiana de Pádua. Visitamos em seguida o belvedere da cidade e de lá se descortina o belo vale do RIO DAS ANTAS (região de canyons do RIO GRANDE DO SUL). Visitamos de passagem FLORES DA CUNHA, CAXIAS DO SUL e em NOVA PETRÓPOLIS nos despedimos entristecidos do casal HILÁRIO E DILETA bem como do neto NICOLAS, a eles agradecemos de coração a hospedagem nesses últimos quatro dias, e acima de tudo o carinho com que fomos tratados. Seguimos para GRAMADO onde fomos matar um pouco das saudades da CASA DA JUVENTUDE. Fomos visitar o casal amigo DIETER E DENISE e a filha que já está com 09 meses, muito bonita, e rever os amigos GERALDO E RUTE. Depois de um bate-papo agradável fomos nos alojar na PENSÃO METODISTA DE GRAMADO tomar um gostoso CAFÉ COLONIAL e depois dar uma passadinha no HOSPITAL DA CIDADE pois estava sentindo dor nos pés (GOTA). Tomei um susto quando o médico me disse que a pressão arterial estava 20 x 10, e tive que tomar alguns medicamentos para reduzir o tamanho da pressão.Retornamos ao hotel e fomos dormir. No dia seguinte 06 de julho recomeçamos nossa viagem fomos até BENTO GONÇALVES e GARIBALDI, passando por CARLOS BARBOSA, esta é a rota do trem da serra gaúcha que sai de BENTO e vai até CARLOS BARBOSA. Até 1870 Bento Gonçalves se chamava CRUZINHA. Neste ano o governo da Província desejando ampliar a área de colonização, por ato de 25/05/1870 assinado por JOÃO SERTÓRIO – PRESIDENTE DA PROVÍNCIA DO RIO GRANDE DO SUL, criou a COLONIA DONA ISABEL (BENTO GONÇALVES), CONDE D’EU (GARIBALDI) E NOVA PALMIRA (CAXIAS DO SUL). Os primeiros imigrantes oriundos do norte da ITÁILIA, chegaram a BENTO GONÇALVES no dia 24 de dezembro de 1875. Em ato de número 474 de 11/10/1890, do Governador do Estado GENERAL CÂNDIDO COSTA, a COLONIA DONA ISABEL é desmembrada da então COLONIA DE SÃO JOÃO DE MONTENEGRO, com a denominação de BENTO GONÇALVES , em homenagem ao CHEFE DA REVOLUÇÃO FARROUPILHA. É uma cidade muito próspera e grande produtora de vinhos (site www.bentogonçalves.rs.gov.br). Já GARIBALDI também produtora de vinhos está a 20 km de BENTO GONÇALVES e entre julho e agosto de 1870, recebeu 15 famílias prussianas (alemães). Em 1874 começam a chegar os italianos procedentes do norte da ITÁILIA. A sua emancipação acontece em 1900, com o nome de GARIBALDI, em homenagem a GIUSEPPE GARIBALDI. Nesse dia ainda passamos por VERANÓPOLIS, PASSO FUNDO, ERECHIM atravessamos a fronteira de estado até chegarmos a noite em CHAPECÓ-SANTA CATARINA. Passamos a noite nesta cidade que hoje está bastante desenvolvida com cerca de 200.000 pessoas. No dia seguinte 06 de julho saímos de Chapecó por volta das 1200 horas a fomos até Maravilha-SC  visitar o nosso grande amigo ALTAIR REINEHR, que conhecemos desde BLUMENAU em 2005 e que conosco participou de vários ENCONTROS DE COMUNIDADES ALEMÃS DA AMÉRICA LATINA. Conhecemos também sua esposa ORFILA, filho, sogra e nora, todos muito simpáticos e recebemos dos amigos, muito carinho durante nossa estada na cidade. O nome MARAVILHA, foi dado graças a ‘MANCHA DE PINHAIS” e a expressão “QUE MARAVILHA!”. Sua origem data de 1951, graças: 1) AOS TRABALHADORES E EMPREITEIROS DA CIA SUL BRASIL, que vieram abrir estradas e medir terras; 2) As duas primeiras serrarias (SBARAINI/BENVEGNU) localizada no atual trevo de acesso à cidade; 3) Os colonizadores gaúchos que vieram formar o núcleo central da futura cidade. É chamada (‘MARAVILHA – A CIDADE DAS CRIANÇAS), pelo grande número de crianças presentes na Escola local e nas ruas por ocasião dos desfiles e festas em 1970 (site www.maravilha.sc.gov.br). Depois de passarmos horas agradáveis hospedados em casa do nosso amigo ALTAIR , no dia 07 seguimos viagem para TREZE TILHAS, nos hospedando no HOTEL ÁUSTRIA. No dia seguinte fizemos um verdadeiro tour pela cidade visitando vários pontos turísticos. Verificamos que a cidade foi fundada em 13/10/1933, quando o MINISTRO DA AGRICULTURA DA ÁUSTRIA – ANDREAS THALER, levou para aquela região o primeiro grupo de imigrantes austríacos. A colônia recebeu o nome de “DREIZEHNLINDEN”, inicialmente. A tília é uma árvore originária do hemisfério norte que, no entanto se aclimatou e pode ser encontrada no município. Dentre os pontos turísticos que visitamos e recomendamos, destacam-se: PARQUE LINDENDORF, neste local existe um restaurante que serve comida e música típica ao vivo de excelente qualidade. O BOLICHE TERMAS DE TREZE TILIAS, a CERVEJARIA BIERBAUM e outras atrações. Importante também são as esculturas em madeira que vimos em vários pontos da cidade. Vale a pena fazer uma visita, principalmente no mês de outubro, quando acontece a TIROLERFEST (site www.trezetilias.com.br). No dia 09 saímos de TREZE TILIAS passando por várias cidades, entre elas VIDEIRA, FRAIBURG (cognominada a cidade das maçãs), MAFRA, RIO NEGRO, chegando a CURITIBA a noite para encontrar a nossa querida amiga JULIANA KLOSS, seus pais DIRCEU E ALDA, sogros PEDRO E ILDA e seu esposo WILMAR. Encontramos também as amigas HELENA E ANA de SÃO PAULO que fazem parte do GRUPO FOLCLÓRICO GOLD UND SILBER. A alegria do reencontro nos fez na noite de sábado assistir a excelente apresentação do GRUPO FOLCLÓRICO UCRANIANO POLTAVA, no TEATRO GUAÍRA. O Grupo fundado no dia 13 de junho de 1981, está completando 29 anos de trabalho ininterrupto na pesquisa, divulgação e preservação da cultura ucraniana, através da ESCOLA DE DANÇAS INFANTO-JUVENIL POLTAVA, GRUPO DE DANÇAS ADULTO, CAPELA DE BANDURISTAS FIALKA, CORAL E ORQUESTRA. Segundo histórico apresentado os ucranianos chegaram ao BRASIL há 119 anos e devido ao clima temperado estabeleceram-se principalmente no Paraná, nas cidades de CURITIBA, PRUDENTÓPOLIS, MALLET, IRATI entre outras. Hoje são cerca de 500.000 descendentes . No espetáculo chamou-me a atenção a apresentação de crianças tocando o instrumento tradicional da UCRÂNIA – AS BANDURAS. Possui características de CÍTARA E ALAÚDE. É considerada a VOZ DA UCRÃNIA. O instrumento unifica os princípios acústicos do alaúde e a harpa (site. www.bandurafialka.vilabol.vol.com.br). Ao final do espetáculo o grupo fez uma comovente homenagem ao SR PEDRO KUTCHMA nascido em DORIZON – PR em 25 de junho de 1910, completando pois 100 anos de vida e desde 1982 dá sua importante contribuição ao GRUPO FOLCLÓRICO UCRANIANO POLTAVA. No domingo dia 11 ficamos na casa da nossa amiga, e tivemos a oportunidade de degustar um gostoso churrasco preparado com muito carinho pelos nossos amigos. A noite fomos ao BAR DO ALEMÃO tradicional restaurante de comida típica alemã localizado no centro histórico de CURITIBA, e na segunda-feira, finalmente chegava o grande dia da apresentação do nosso grupo co-irmão GRUPO FOLCLÓRICO GERMÂNICO ALTE HEIMAT, no 49 FESTIVAL FOLCLÓRICO E DE ETNIAS DE PARANÁ. O teatro GUAIRA mais uma vez recebeu um grande público, e a apresentação foi monumental. O grupo se apresentou com três categorias INFANTIL-JUVENIL, ADULTO E MASTERS  e mostrou vários trajes típicos entre eles INFANTIL-JUVENIL – Kinder Schwarzwald traje infantil da região da FLORESTA NEGRA, sul da ALEMANHA; Appenzeller – traje do cantão do APPENZELL, SUIÇA e Tiroler Kinderdeandl – traja tirolês infantil do norte da Áustria. OS ADULTOS  - Pyritz – traje da região da Pomerânia, nordeste da Alemanha; Würtemberg – traje da região de baden-würtemberg, sul da Alemanha; Otztaler Tracht – traje da região de Oberinntal, norte da Áustria; Holstein AM Probstei – traje do estado de Schleswig-Holstein, ao norte da Alemanha; Vierland – traje da região de Hamburgo, norte da Alemanha e Miesbacher Tracht – traje da região de Miesbach, Oberbayern, sul da Alemanha. OS MASTERS – Böhmerwald – traje da antiga região da Floresta Boêmia que pertencia a Áustria e atualmente encontra-se em território da República Tcheca; e Tiroler Deandl – traje de uso diário, mais típico do TIROL.No domingo dia 11 tivemos a alegria de ver o nosso filho PADRE NILO celebrar uma missa as 0900 horas na Igreja de Nossa Senhora do Bom Conselho no bairro SANTA FELICIDADE. Outra alegria foi ver o MARCELO dançando no GRUPO ALTE HEIMAT a DANÇA DE ABERTURA DO ESPETÁCULO, e o final o locutor oficial do grupo agradecer a participação do GRUPO DE DANÇAS FOLCLÓRICAS GERMANICAS SCHMETTERLING DE JUIZ DE FORA-MG na apresentação do ALTE HEIMAT.  O Grupo homenageou os trabalhadores e a cultura germânica, o espetáculo foi elaborado a partir de antigas profissões existentes na Áustria, Suíça e Alemanha. Chamou atenção um trecho da apresentação do locutor explicando as diversas profissões dos colonos, o trecho que transcrevemos a seguir: “Os Zimmermanns se organizam em Zunfts, uma espécie de sindicato de artesãos, onde o mais antigo que se tem notícia é datado do ano de 1099, mas confirmado temos registro apenas do ano de 1149. O Sindicato rege que pertence a um ZIMMERMANN o direito de construção de todo e qualquer telhado de casas em vilarejos e cidades na Alemanha, Áustria e Suíça, desde que um Zimmermann se encontre na cidade onde se realiza a obra. Caso não haja um Zimmermann na cidade, o responsável da obra pode procurar empresas especializadas. Mas por que não um Zimmermann na cidade com uma certeza de emprego como essa? Porque existem apenas algumas centenas desses artesões espalhados pela EUROPA e além disso eles são peregrinos, assim como rege o seu sindicato. Eles devem migram de uma cidade para a outra na época do WANDREJAHRE, que é um período logo após suas férias. Então não ache estranho alguém vestido deste jeito na beira da estrada pedindo carona. O sindicato diz que o Zimmermann não pode possuir veículo de locomoção próprio e deve realizar a sua jornada à pé ou pedindo carona, com uma distância limitada a 50 km da fronteira de seu país de origem. Para ter permissão de peregrinar, o Zimmermann deve obrigatoriamente trajar um casaco do tipo Manchesterjacket, colete, chapéu tipo Schlapphut, cartola ou chapéu de 3 pontas, um cajado chamado Stenz e uma trouxa com seus pertences. Além do mais, ele deve carregar consigo um certificado de Zimmermann, ser solteiro, não ter filhos e uma declaração da polícia onde não conste antecedentes criminais. Com restrições como essas, não é de se duvidar que existam apenas algumas centenas deles pela Europa.” Agradecemos ao BOM DEUS a proteção que nos proporcionou durante toda a viagem. Não tivemos nenhum problema com o nosso carro, durante os 4.000 km percorridos. Agradeço a Dilza minha querida esposa e os filhos Nilo Jr e Marcelo pela companhia. E a todos que nos receberam. HILÁRIO/DILETA, DIETER/DENISE, ALTAIR/ORFILA, JULINA/WILMAR, DIRCEU/ALDA, PEDRO/ILDA e agradecemos as amigas HELENE E ANA de São Paulo os momentos de alegria que vivemos juntos em CURITIBA-PR.

Ainda no comentado.