OS 140 ANOS DE FUNDAO DA SOCIEDADE ALEM DE BENEFICNCIA

BASEADO NO TRABALHO DE ANTONIO GASPARETTO JUNIOR INTITULADO (MUTUALISMO ALEMO EM JUIZ DE FORA- PUBLICADO NA REVISTA CONTEMPORNEOS REVISTA DE ARTES E HUMANIDADES NMERO 8 DE MAIO A OUTUBRO DE 2011).

Nilo Franck

Geral

// - :

A DEUTSCHER KRANKEM-UNTERSTZUNGS VEREIN, SOCIEDADE ALEM DE SOCORROS MTUOS e mais tarde SOCIEDADE ALEM DE BENEFICNCIA, foi a primeira associao mutualista no Estado de Minas Gerais, fundada em 26 de maio de 1872, quatorze anos aps a chegada dos imigrantes germnicos a Juiz de Fora (1858), por AUGUSTO KREMER, NICOLAU SCORALICK, FREDERICO DOSE, JLIO WALTEMBERG, JOO HEES, VALENTIM MECKLER, HENRIQUE GREESE, JACOB HEES, GEORGE BECKER E HENRIQUE LOCWENSTEI. Manteve-se ativa por mais de 80 anos sendo extinta em 1961.

Ela no desenvolvia funes polticas segundo LUIZ ANTONIO VALLE ARANTES- professor da UFJF lotado no Instituto de Cincias Humanas da UFJF, mas funcionava como uma previdncia privada oferecendo alguma seguridade aos trabalhadores alemes. Prestava auxlio mdico e farmacutico aos seus associados ou financeiro em caso de funeral. Pode-se dizer que a entidade foi uma extenso da COLNIA D PEDRO II, reforando as razes e os laos de solidariedade e reciprocidade entre os imigrantes.

O autor acentua que os imigrantes e suas famlias procuraram, atravs dessa entidade, manter seus laos com suas tradies histricas e culturais, reforando identidades, oferecendo recursos de seguridade. Segundo Manoel Diegues Jr professor da PUC-RJ, esse esprito associativo j existia na Europa, e ento transplantado para o Brasil, e a assume a nova funo de reforo da identidade. A proliferao desse tipo mutual aconteceu no Rio de Janeiro, na poca, a regio de maior concentrao de imigrantes, tambm em So Paulo. Juiz de Fora entra neste contexto por ter uma histria muito ntima com os imigrantes desde seu incio e, especialmente, por se constituir na cidade mais urbanizada da regio da Zona da Mata de Minas Gerais, teve vrias delas.

Em geral, todas as associaes se empenhavam em possuir prdio prprio para a realizao de suas atividades, pudemos constatar apenas que a SOCIEDADE ALEM DE BENEFICNCIA possua sede prpria na RUA BERNARDO MASCARENHAS (VILLAGE OU COLNIA DE BAIXO DA ANTIGA COLNIA D PEDRO II) (o PHAROL(02) 11/09/1911 PG 10).

Vrias festas eram organizadas com o intuito de angariar fundos em benefcio da prpria associao. Esta era uma via comum de arrecadao de recursos utilizada pelas sociedades. Nessas quermesses(1) ocorriam leiles ou extraes de tmbolas (3). As prendas normalmente eram oferecidas para um pblico indistinto, associado ou no (O PHAROL 04/03/1886 pg 02). Em ocasies especiais aconteciam tambm bailes como no caso da PROCLAMAO DA REPBLICA, em 1890 (O PHAROL 13/11/1890 PG 03).

LUIZ ANTONIO DO VALLE ARANTES destaca ainda que as festas religiosas e comemorativas foram fundamentais para a manuteno das tradies germnicas, fortalecendo os laos dessa comunidade (ARANTES 2000 PG 104. As quermesses. Leiles e bailes eram regadas de fogos, msica e manifestaes tpicas da cultura alem.

1. QUERMESSE So festas realizadas, em diversas pocas de acordo com cada parquia, com barracas de sorteios, jogos com prmios, bebidas e comidas tpicas, de acordo com cada regio. Sua origem est ligada a religio catlica. ERA a festa do Santo Padroeiro da parquia ou aniversrio da Igreja.(www.wikipdia enciclopdia livre.com.br). O meu querido amigo HILRIO RODOLFO KLEIN, descendente de imigrantes alemes de NOVA PETRPOLIS-RS), em sua palestra realizada no VI ENCONTRO DAS COMUNIDADES ALEMES DA AMRICA LATINA JUIZ DE FORA 2008, intitulada COMO SE DIVERTIAM OS IMIGRANTES EM NOVA PETRPOLIS-RS, destaca o KERB (para o catlico a festa do padroeiro e para os luteranos aniversrio da Igreja). Destaca ainda a origem do nome, segundo alguns, se originaria da expresso KIRCHEWEIHEFEST (festa de inaugurao da Igreja) e para outros seria uma corruptela de KORBE (cesto ou balaio em alemo) pois os alimentos e as decoraes eram trazidos em jacs amarrados sobre o lombo dos animais de carga.

2. O PHAROL Foi um peridico brasileiro publicado em Juiz de Fora-MG entre os sculos XIX e XX. Foi fundado em Paraba do Sul no ano de 1866 e trazido quatro anos depois para Juiz de Fora-MG, onde foi publicado por 69 anos. Sua tipografia foi a primeira a ser instalada em Juiz de Fora. Em sua redao trabalharam jornalistas ilustres da cidade tais como: DILERMANDO CRUZ, LINDOLFO GOMES, DIOGO DE VASCONCELOS, CESRIO ALVIM, FONSECA HERMES, dentre outros.

3. TMBOLAS O mesmo que bingo s que colocado em sacos;



Por Nilo Sergio Franck

Ainda no comentado.