Noite de So Joo

Vicente Clemente

Clemens

29/08/13 - 21:10

Diz o folclore que nas noites de So Joo acontecem coisas miraculosas e no foi diferente nessa noite mgica de 24 de junho de 2.010.

A Cmara Municipal de Juiz de Fora estava engalanada e o auditrio da Casa Legislativa de Juiz de Fora repleta de um grupo seleto de convidados.

Era a noite especial para homenagear um cidado juizforano escolhido que fora pelos seus mritos junto sua comunidade, com o ttulo de CIDADO BENEMRITO DE JUIZ DE FORA.

H dias tal data fora comunicada ao homenageado, que tratou de distribuir os convites que o Cerimonial da Cmara lhe havia destinado, para as mais diversas comunidades que faziam parte do dia-a-dia dele.

Com o corao acelerado e as mos geladas, VICENTE DE PAULO CLEMENTE,

um descendente de alemes da 3 gerao da famlia Clemens, aquele menino da Borboleta, ouviu seu nome ser anunciado no recinto do auditrio da Cmara de Vereadores, adentrando em seguida, vindo de uma ante-sala onde aguardara por um breve perodo, ladeado por dois vereadores, Isauro Calais e Antonio Martins (Tico-tico) e se dirigindo ao lugar de honra, ao lado do Presidente da Casa, Vereador Bruno Siqueira, que se levantou para cumpriment-lo.

A mesa diretora dos trabalhos j estava completa, com seus membros assim distribudos:

- Prof Creusa Cavalcanti Frana (Academia Juizforana de Letras)

- Iverson Morandi de Oliveira (Presid. da Assoc.Cult.Recr.Brasil/Alemanha)

- Dr. Mrcio de Oliveira (Conselheiro Estadual da OABMG)

- Francisco de Assis Evangelista (Vereador Secretrio da Cmara)

- Maria Aparecida Fontes Cal (Diretora do Legislativo)

- Bruno Siqueira (Presidente do Legislativo Municipal)

- Vicente de Paulo Clemente (homenageado)

- Jos Tarcsio Furtado (Vereador e mdico, proponente do Ttulo)

Com o auditrio lotado, o que aconteceu em seguida foi excepcional e agradou a todos:

a) O Hino Nacional, que todos cantaram e se postaram em sinal de respeito;

b) O Hino da cidade de Juiz de Fora, da mesma forma;

c) Apresentao de dois nmeros de danas pelos rapazes e moas do Grupo Heimveh Schmetterling da ACRBA, que arrancou aplausos entusiastas dos presentes;

d) A leitura do processo e da lei promulgada pela Prefeitura Municipal, que recebeu o n 12031/2010, pelo Secretrio da Casa, Vereador Chico Evangelista;

e) A ode ao homenageado, pelo Vereador Dr. Tarcsio, que relembrou da imigrao alem em Juiz de Fora, que foi objeto dos estudos e do livro Os Alemes e a Borboleta, de autoria de Vicente Clemente e um breve relato da trajetria do homenageado...

f) Finalmente o emocionado discurso de agradecimento de Vicente, que inclusive cantou um pedao da msica de Pel e Moacyr Franco, Sozinho no sou ningum, agradecendo primeiramente a Deus e a presena de todos seus amigos e parentes, naquele recinto.

g) A entrega do ttulo de cidado benemrito, um diploma assinado pelo Presidente da Cmara Municipal de Juiz de Fora, Bruno Siqueira e do Prefeito Municipal, Custdio Mattos e mais uma pea emblemtica da Cmara Municipal, pelos Vereadores, Dr. Tarcsio e Antonio Martins, respectivamente, encerrou oficialmente a cerimnia.

Seguiram-se os cumprimentos das autoridades presentes e dos amigos, que perfilados, aguardaram o momento de abraar aquele que no seu estilo mineiro de ser levou a histria da Borboleta, de Juiz de Fora e dos imigrantes alemes pelo mundo afora.

Realmente, aquela noite de 24/06/2010, uma fria noite de So Joo, foi MGICA e especial para muitos e especialmente para aquele menino da Borboleta, o 5 dos sete filhos do casal Antonia e Valentim Clemente.

Ainda no comentado.