Festas Alemãs no Borboleta

Nilo Franck

Nilo

// - :


Link Especial: Schmetterling






HISTÓRIA DAS FESTAS ALEMÃS REALIZADAS NO BAIRRO BORBOLETA – JUIZ DE FORA – MG


 


        A nossa ex-presidente da ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL ALEMANHA solicitou a minha esposa DILZA MASSON FRANCK,  uma matéria que contasse um pouco da história da DEUTSCHES FEST. Depois de uma longa pesquisa cujos dados vão ser colocados ao final deste histórico a matéria foipublicada no site www.culturalemajf.com.br , contando fatos que fazem parte da história da DEUTSCHES FEST (FESTA ALEMÃ), do BAIRRO BORBOLETA, um dos bairros mais importantes da nossa JUIZ DE FORA. Nós vamos aproveitar a primeira parte desta matéria e acrescentar alguns dados a esta história, sempre com a ajuda do amigo SAMUEL LIMA, e a colaboração sempre muito importante da DILZA. O Samuel   tem um enorme arquivo de fatos deste evento ou seja todos os folders das quinze edições da festa.


     “Em 15 de setembro de 1930, o CURA VICENTE ZAY celebrou a primeira missa no local ( o altar foi a mesa da copa do SR FRANCISCO SCHAEFFER – FRANZ), benzendo solenemente o CRUZEIRO doado pelo SR JÚLIO MENINI (PRESIDENTE DA COMISSÃO), realizando também a primeira festa (festival) em benefício da construção da CAPELA. Desta data até o término da construção, realizaram-se festivais no local, com barraquinhas, leilões, e as mais variadas promoções com o objetivo de angariar fundos para a obra. Destacavam-se as barracas de bolos e rocamboles, as mais procuradas, como o são até os dias de hoje, nas festas. (CLEMENTE 1990-PG 24 – LIVRO O BAIRRO BORBOLETA E A IGREJA SÃO VICENTE DE PAULO).


     Essas citações de VICENTE CLEMENTE, não poderiam deixar de serem escolhidas, como o início mais fidedigno da história da FESTA ALEMÃ (DEUTSCHES FEST), em nosso site. Vale acrescentar que as festas promovidas pela Igreja São Vicente eram sempre animadas por uma banda, muitas vezes a do SEGUNDO BATALHÃO DA POLICIA MILITAR DE MINAS GERAIS, o querido  DOIS DE OURO, que causava admiração nas crianças, jovens, adultos e muitas recordações boas às vovós  e vovôs presentes; aliás esta tradição voltou a acontecer na DÉCIMA TERCEIRA FESTA ALEMÃ promovida pela ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL ALEMANHA, em 2007, quando a BANDA DO DOIS DE OURO, novamente se apresentou na abertura do evento, para delírio daquelas crianças da década de trinta, quarenta e cinqüenta do século passado, que hoje como pais e avós rememoram com emoção esse tempo maravilhoso vivido e puderam repassar aos seus filhos e netos essa emoção. Imigrantes chegaram em JUIZ DE FORA em 1858, oriundos do Império Austríaco, dos reinos da Prússia (147 pessoas), Hannover, Baviera, Dinamarca, dos Grão Ducados de HESSEN (355 pessoas), do TIROL (227 pessoas), LUXEMBURGO de diversos principados e condados, além de cidades livres como Hamburgo, Bremen, etc. Seus descendentes sofreram várias perseguições, e o medo fez com que escondessem suas tradições, assim foram extinguindo-se a cultura, a língua já não era mais falada, e com a morte dos primeiros colonos, a caracterização da antiga colônia ia se perdendo, pois assim os seus descendentes iam dando lugar aos costumes e hábitos de sua então PÁTRIA BRASIL ( “STEHLING” – 1979 página 115 – LIVRO JUIZ DE FORA A COMPANHIA UNIÃO INDUSTRIA E OS ALEMÃES)). Até que um grupo de amigos, descendentes do alemães oriundos da Colônia D.Pedro II , liderou um movimento de resgate destas tradições, e em 27 de agosto de 1967, foi fundado O CENTRO FOLCLÓRICO TEUTO-BRASILEIRO DE JUIZ DE FORA, tendo como primeiro presidente o SR JOSÉ EMÍLIO KELMER. ( – 2007 – ARQUIVOS INSTITUTO TEUTO BRASILEIRO WILLIAM DILLY-JUIZ DE FORA – MINAS GERAIS).



                                                AS  PRIMEIRAS FESTAS  ALEMÃS


    O CENTRO FOLCLÓRICO TEUTO-BRASILEIRO, iniciou suas atividades promovendo a PRIMEIRA FESTA ALEMÃ EM 1969 NO ADRO DA IGREJA SÃO VICENTEDE PAULO- BAIRRO BORBOLETA. Com grande repercussão em JUIZ DE FORA e com a participação de toda a comunidade, no bairro, foram instaladas barracas com decoração típica da cultura germânica. Segundo o  ROBERTO DILLY “O ESPÍRITO DOS LIDERES DO MOVIMENTO DE RESGATE DA CULTURA GERMANICA ,CONTAGIOU A CIDADE COM GRANDE EMOÇÃO, COM DISCIPLINA E COM O APOIO E A PARTICIPAÇÃO DO ENTÃO PREFEITO E EX PRESIDENTE DA REPÚBLICA,PRESIDENTE DE HONRA VITALÍCIO DO INSTITUTO TEUTO-BRASILEIRO WILLIAM DILLY SR. ITAMAR AUGUSTO C. FRANCO”. O valor e o sucesso da primeira festa fez com que a diretoria do então CENTRO FOLCLÓRICO promovesse mais quatro festas, chamadas também de “FESTIVAL DE CHOPP”. De acordo com relatos de  moradores do bairro BORBOLETA a SEGUNDA FESTA ALEMÃ que não aconteceu em outubro de 1971, foi transferida para o ano seguinte 1972 em respeito ao falecimento de um morador do bairro. A TERCEIRA FESTA ALEMÃ foi em 1975, junto a IGREJA LUTERANA DO BAIRRO. Em 1990 a QUARTA FESTA ALEMÃ, junto a IGREJA SÃO VICENTE DE PAULO, foi realizada para angariar fundos com o objetivo de dar continuidade as obras de ampliação da antiga capela. (CLEMENTE – 1990 PG 27). Em 1991 a QUINTA FESTA ALEMÃ foi realizada com a IGREJA SÃO VICENTE DE PAULO novamente. Festejos esses sempre com muito chopp, danças, pães caseiros, comida e tortas típicas. As primeiras festas sempre eram iniciadas com um CULTO ECUMÊNICO ENTRE CATÓLICOS E LUTERANOS.


                                             A   ATUAL    DEUTSCHES   FEST



    A partir de 1992 novamente a comunidade do bairro e desta vez, com a voz dos jovens que dançaram em festas anteriores, mobilizaram-se, e juntos aos líderes da comunidade do Bairro Borboleta, mais uma vez pois sentiram a necessidade de agregarem-se em torno de uma associação mais dinâmica,  com propósitos de preservar as tradições culturais deixadas por seus antepassados colonos e, dando ênfase as danças folclóricas germânicas, valorizando também a cultura brasileira de diversas etnias. Deste movimento surge em 1993 a ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL-ALEMANHA,i cuja fundação acontece a 27 de abril de 1993, tendo como primeiro Presidente o SR WAGNER CANELLAS DA COSTA; sem fins lucrativos,está sediada no BAIRRO BORBOLETA ,hoje  filiada a CASA DA JUVENTUDE DE GRAMADO-RS e a FEDERAÇÃO DOS CENTROS DE CULTURA ALEMà DO BRASIL – FECAB-RS. Mais tarde é reconhecida de utilidade pública, através da LEI MUNICIPAL 10.774 e passa a ser promotora da festa alemã e mantenedora do SCHMETTERLING GERMANISCHE VOLKSTANZGRUPPE. MARIA DAS GRAÇAS SCHAEFER filha do bairro, neta de alemães, que com grande perseverança e amor à cultura alemã e brasileira, não mediu esforços e foi aos mais longínquos lugares buscar suas raízes culturais, conhecer mais sobre a cultura alemã e aprender danças folclóricas de palco para ensiná-las aos jovens. Nessa época ela fundou e fortaleceu  vários grupos de danças no bairro, tais como: SCHMETTERLING(1993 MUNIQUE E KINDER (1990) , que abrilhantaram as festas de 1990 e 1991 além de outras apresentações pela cidade. A criação da ASSOCIAÇÃO teve como  conseqüências a fusão desses grupos num só o SCHMETTERLING. Esse nome foi dado ao GRUPO em homenagem à história do bairro: “....ACH SCHMETTERLING, DU FLIENTE IMMER ZUM FENSTER RAUS...” que significa “OH BORBOLETA, TU SEMPRE VOAS PARA FORA DA JANELA” ... CLEMENTE - 1990 PG 16. A ASSOCIAÇÃO realiza a DEUTSCHES FEST anualmente em JUIZ DE FORA, a partir de 1995 e este evento faz parte do CALENDÁRIO OFICIAL TURÍSTICO DA CIDADE DE JUIZ DE FORA, através da LEI MUNICIPAL  11.714  DE 12/12/2008 sancionada pelo então PREFEITO DE JUIZ DE FORA JOSÉ EDUARDO ARAÚJO, cujos termos são os seguintes:  ...’DISPÕE SOBRE A INSTITUIÇÃO NO CALENDÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO DE JUIZ DE FORA....  ART 1 – FICA INSTITUÍDO NO CALENDÁRIO DO MUNICÍPIO DE JUIZ DE FORA O EVENTO “FESTA ALEMÔ ART 2 – A PREFEITURA DE JUIZ DE FORA FACILITARÁ AS ATIVIDADES PROMOVIDAS NO EVENTO ELENCADO NA LEI.   A autoria do PROJETO DE LEI é do VEREADOR BRUNO SIQUEIRA ....” A principal atração da DEUTSCHES FEST é o GRUPO DE DANÇAS SCHMETTERLING, apresentando-se todos os dias. Todos os anos no palco da festa  se apresentam corais, bandas folclóricas, orquestras, grupos folclóricos de várias etnias. As barracas são uma atração a parte:  sempre muito bem decoradas levam o nome das famílias alemãs cujos descendentes ainda moram no bairro. O cardápio é típico alemão. São oferecidos deliciosas tortas, pães, biscoitos, chucrute, joelho de porco, salada de batatas etc. Ainda presentes os boxes com artesanato e souvenirs, com destaque para o BOXE DA ASSOCIAÇÃO que anualmente vende os canecos da festa, camisas e bottons, diversos. Nos anos de2007 e 2008 foi feito um trabalho para que tivéssemos BANDA PRÓPRIA e foi possível a apresentação DA SCHMETTERLING KAPELLE, (BANDA SCHMETTERLING). Com este projeto visava-se a formação de músicos na própria associação os quais substituiriam gradualmente os músicos da banda, todos de JUIZ DE FORA e também uma gradual diminuição dos custos que um conjunto como este custava; além disso foi preparado um álbum com partituras para 11 instrumentos escrito pelo mestre da banda TEM. RÔMULO, com 22 músicas: nos primeiros dois anos o custo diminuiu em 50%. Infelizmente o projeto não foi levado adiante, sob a alegação de que os músicos não faziam parte do quadro de associados da entidade. A DEUTSCHES FEST é um evento que tem cobertura dos principais veículos de comunicação da cidade; público de diferentes perfis de acordo com os horários e programação. São sempre pessoas que amam as artes, apreciam e respeitam a diversidade cultural do nosso povo brasileiro. A festa não seria possível se não acontecessem as parcerias, A PREFEITURA MUNICIPAL DE JUIZ DE FORA, sempre foi uma das principais colaboradoras da festa desde a sua primeira edição, a FUNALFA montou durante todos os anos as barracas dos restaurantes, boxes e o palco para a apresentação das danças e bandas. Temos como patrocinadores hoje com muito orgulho para nós a CERVEJARIA ITAIPAVA E O FRIGORÍFICO SOUZA BARTELS, além de outras entidades que serão citadas a seguir. É importante citar na oportunidade que várias gerações de jovens, (hoje muitos deles pais e mães dos atuais integrantes do grupo)  participaram e deram a sua valiosa colaboração, pois dançar na festa não significa só 05 dias de apresentação. São mais de 06 meses de ensaios realizados predominantemente aos domingos, quando ao invés de saírem para a diversão adentram no prédio da ASSOCIAÇÃO para ensaios que duram em média 120 minutos . Por isso reafirmamos que se não fosse o trabalho, a dedicação, a competência e principalmente o espírito comunitário das pessoas do bairro BORBOLETA e a herança cultural dos nossos antepassados, não seria possível uma atividade de tamanha envergadura. A seguir passaremos a mostrar alguns dados interessantes sobre esta festa, estamos levando em conta as 15 edições realizadas pela ASSOCIAÇÃO CULTURAL E RECREATIVA BRASIL ALEMANHA. Os dados a seguir apresentados fazem parte dos folders da festa guardados com muito carinho pelo amigo SAMUEL LIMA.











Por Nilo

Ainda não comentado.