O Núcleo de Cultura de Venancio Aires e a Responsabilidade Civil Sobre o Patrimonio Histórico

O NÚCLEO DE CULTURA DE VENÂNCIO AIRES E A RESPONSABILIDADE DA SOCIEDADE CIVIL SOBRE O PATRIMONIO HISTÓRICO. DE – FLÁVIO SEIBT E ANGELITA DA ROSA

Nilo Franck

Nilo

// - :



O surpreendente apoio obrigou a entidade lançar a idéia de comprar o histórico ED STORCK, localizado no centro da cidade, redescobrindo um patrimônio coletivo esquecido e envelhecido, ao custo na época de U$ 500.000,00, mesmo sem o NUCVA possuir nenhum centavo.



A solução foi uma campanha solicitando a doação de metros quadrados em parcelas mensais pagas em até dois anos, com a promessa de no futuro os respectivos doadores serem homenageados em um memorial.



As doações de acervos e de metros quadrados eram amplamente divulgados pela imprensa estimulando novos apoios, completando o pagamento de 1.328 m” em quarenta meses, quando toda a comunidade se descobriu “dona de um museu”. Por isto: MUSEU DE VENÂNCIO AIRES – O MUSEU DE MUITOS DONOS.



Este prédio foi transformado na “CASA DE CULTURA DE VENÂNCIO AIRES”, pois além do MUSEUVA que foi organizado com apoio da UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL, surgiram também a Biblioteca e os Arquivos Históricos, revistas, jornais e discos antigos. Além disso, o prédio abriga pontos comerciais locados que nos dão sustentabilidade econômica, independência do poder público e, como conseqüência, a gratuidade da visitação.



Já realizamos múltiplos eventos culturais abertos ao público em parceria com entidades públicas ou privadas, sendo a maior a apresentação da ORQUESTRA SINFÔNICA DE PORTO ALEGRE com a presença de 10.000 espectadores.



Associado ao CONSELHO INTERNACIONAL DE MUSEUS, passamos a participar de múltiplos congressos regionais, nacionais e nas conferências internacionais de Barcelona apresentando: MUSEU DE VENÂNCIO AIRES – O MUSEU DE MUITOS DONOS, em SEUL “CHIMARRÃO O CHÁ DA AMIZADE E DA HOSPITALIDADE”, e em VIENA: “O NÚCLEO DE CULTURA DE VENÂNCIO AIRES E A RESPONSABILIDADE DA SOCIEDADE CIVIL COM O PATRIMONIO HISTÓRICO”, tornando-se assim, referência internacional por sua origem comunitária e sustentabilidade



Em parceria com a BRASIL-TELECOM lançamos aproximadamente um milhão de cartões telefônicos temáticos de nossa entidade tendo como resultado um excelente resultado publicitário.



No Edital “PRÓ MUSEU” do Governo do Estado do RS, em 2001, com parceria da UNISC, pesquisamos a história de VENANCIO AIRES e editamos o livro: ABRINDO O BAÚ DE MEMÓRIAS. O Museu de Venancio Aires conta a historia do município, dando continuidade com palestras de EDUCAÇÃO PATRIMONIAL para grupos de terceira idade e escolas; com caixas de memória e CD-ROM multimídia e interativo “O MUSEU DE VENÂNCIO AIRES MOSTRA SEU ACERVO”, este também com a participação da UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL, que foi distribuída nas escolas com o intuito de socializar as imagens de nosso acervo fora das paredes do museu.



Estimulados e apoiados pelo INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL aprovamos o projeto “IGREJA DA VILA DE SANTO AMARO” para restaurar uma das igrejas mais antigas do Rio Grande do Sul, construída em 1787, pertencente a um conjunto luso-açoriano, com mais de 14 prédios protegidos pelo governo brasileiro e cuja comunidade de 800 pessoas não tinha condições de restaurar.



Sem experiência e nem contatos com grandes empresas para patrocinar o investimento captamos mais de U$ 500.000,00 do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, Eletrobrás, Bradesco Consórcios S/A, Banco Regional de Desenvolvimento Econômico S/A e outras privadas, formamos uma equipe que restaurou a igreja em dois anos, realizou pesquisa arqueológica e está concluindo a pesquisa histórica.



Neste mesmo local aprovamos mais dois projetos no Monumenta/Unesco com verbas do BID de educação patrimonial e outro de desenvolvimento ao turismo no valor aproximado de U$ 70.000,00 em execução, com estudantes estagiários das UNIVERSIDADES DE SANTA CRUZ DO SUL e da UNIVATES de LAJEADO, com o apoio da PREFEITURA MUNICIPAL DE GENERAL CÂMARA, atuando na escola e na comunidade,conscientizando e preparando a todos para ajudar a preservar o patrimônio histórico em que vivem, assim como ajudando a abrir novos horizontes econômicos e sociais de sustentabilidade locais.



Encontra-se aprovado no MINISTERIO DA CULTURA outro projeto, a ser captado, para estudo da imaterialidade da tradicional e antiguíssima PROCISSÃO DE SANTO AMARO de grande apelo de turismo religioso da região.



Em decorrência destas ações descritas, a Prefeitura Municipal está conseguindo verbas no MINISTÉRIO DO TURISMO, para o asfaltamento de 4.500 metros da estrada de acesso consolidando este pólo turístico assim como ajudando a preservar o patrimônio nacional tombado pelo IPHAN.



Próxima e contemporânea a VILA DE SANTO AMARO encontramos em VALE VERDE as ruínas de uma antiga casa, sede da fazenda, onde conseguimos a doação do prédio ao poder público municipal que, entretanto não mostrou interesse de receber lá para que pudéssemos iniciar a intervenção emergencial para sua posterior restauração estando em grave risco de perda total da edificação.



Como Venâncio Aires é chamada de “CAPITAL NACIONAL DO CHIMARRÃO”, o chá da amizade sob o patrocínio da Petrobrás cultural no valor de u$ 100.000,00 onde estudamos e pesquisamos este hábito que é o maior símbolo do RIO GRANDE DO SUL e em parceria com a ESCOLA DO CHIMARRÃO estamos divulgando e ensinando em escolas, eventos ou grandes centros comerciais seu uso e benefícios.



Como presidente da ASSOCIAÇÃO DE AMIGOS DO MUSEU DA HISTÓRIA DA MEDICINA DO RIO GRANDE DO SUL, fundado pelo SINDICATO MÉDICO, estamos auxiliando sua implantação, divulgação. E abertura ao público assim como associando ao ICOM.



O NUCVA possui um banco de idéias que agiliza a apresentação de novos projetos, trabalho que vem sendo realizado ao longo de anos motivando convites para palestras, assessorias a prefeituras e entidades.



Todas as ações descritas resumidamente tiveram por objetivo conscientizar as comunidades do valor de tudo que nos rodeia e pelos quais todos nós somos responsáveis, independentes de sua localização ou propriedade, universalizando a responsabilidade individual.



OU; “ABRINDO OS OLHOS E PARA VER COM O CORAÇÃO”.



Por DR FLÁVIO LUZ SEIBT



OBS O DR FLÁVIO LUZ SEIBT PALESTRANTE DO VI ENCONTRO DAS COMUNIDADES ALEMÃS DA AMÉRICA LATINA, é médico e fundador do MUSEU DE VENÂNCIO AIRES, sócio do comitê brasileiro e do Conselho Internacional de Museus.

Ainda não comentado.